Lágrimas do futebol: o dia em que o Corinthians me fez chorar- Libertadores 2012

Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

A data 04 de julho de 2012, dia da “Libertação Alvinegra” jamais saíra da mente dos corintianos. E como um bom torcedor do Corinthians eu me lembro de tudo desde o momento que acordei até a hora do jogo. Foram momentos de ansiedade, junto com imaginações do que poderia acontecer naquela partida e o tempo não passava.

Me lembro que assisti todos os programas de esportes possíveis, desde os de canal aberto aos da TV paga buscando informações de como o Corinthians iria para a decisão contra o Boca Juniors. A confiança no título, após aquele gol do Romarinho na Bombonera, era muito grande, mas esse sentimento já havia falhado comigo em 2008, na final da Copa do Brasil contra o Sport, então preferi guardar essa sensação para mim mesmo.

Não tomei café, almocei mal e nem jantei. A ansiedade para tirar esse peso de ganhar uma Libertadores era enorme e eu não conseguia fazer nada além de tentar assistir televisão para fazer o tempo passar. Tentei até mesmo jogar videogame, pois sempre que joguei percebi que o tempo passava mais depressa, mas também não consegui.

O dia era só para mim, não queria que ninguém conversasse comigo. Prova disso é que assisti o jogo em casa, ao invés de assistir com meus amigos que haviam me chamado para ver todos juntos. Prometi que se o Corinthians ganhasse a Libertadores eu iria curtir com eles, mas que iria ficar em casa mesmo.

Pois bem, o jogo chegou e nem estava frio no dia. Mas como já é de praxe comigo em todo jogo decisivo, eu fico tremendo, onde a barriga e até minhas costas doem, não sei o porquê. O primeiro tempo passou e sem muitos sustos tanto do lado do Corinthians quanto do Boca, fiquei já imaginando os pênaltis.

Começou o segundo tempo e antes dos 10 minutos, Emerson Sheik fez o gol que já me deixou com um “suor nos olhos”, pela primeira vez, depois de um incrível passe do sempre decisivo, Danilo. Mas eu sabia que tinha que manter a calma, do outro lado estava ninguém menos que o Boca Juniors.

Mas minha calma só foi até os 27 minutos do segundo tempo. Após esse tempo sabia que o título era nosso e que nada tiraria nossa primeira Libertadores. Após um erro grave de Schiavi, Sheik arrancou do meio campo e novamente marcou. Foi o gol da Libertação, o gol que ficou na história, o gol que fez ele entrar de vez na história do Timão.

Antes do fim do jogo eu já não acreditava que aquilo realmente estava acontecendo e o aquele “suor” se transformou em choro de verdade. A primeira vez que chorei pelo Corinthians.

Nem no rebaixamento eu havia chorado, mas no título não teve como. Fui encontrar meus amigos na rua com o rosto “inchado” de chorar, mas não aquilo não importava. Todos também estavam e a madrugada foi só de zoeira graças ao Todo Poderoso Timão.

Sim, o título era nosso, após muito tempo ninguém falaria mais nada. Mas e as piadinhas?… engraçado, não ouço elas desde então.

Iria colocar o vídeo para relembrar, mas para pensei bem e não será preciso. Cada lance, cada gol estará guardado para sempre na memória dos corintianos.

VEJA OUTRAS HISTÓRIAS DO ESPECIAL “LÁGRIMAS DA BOLA”:

CONVIDADO ESPECIAL – MAURO BETING: “CHORANDO NO CAMPO

Alex Tavares Lágrimas do futebol: o dia em que o São Paulo foi tricampeão da Libertadores
Allan Simon Lágrimas do futebol: o dia em que o Palmeiras de Valdivia quase me fez chorar
Barbara Scarelli Lágrimas da bola: o dia em que o Corinthians ganhou o mundo e me fez chorar
Daniel Almeida Lágrimas do futebol: o dia em que o São Paulo me fez chorar – Mundial 2005
Danielle Barbosa Lágrimas do futebol: o dia em que o Real Madrid me fez chorar
Derly Prado Júnior Lágrimas do futebol: o dia em que o Palmeiras me fez chorar
Diogo Miranda Lágrimas do futebol: o dia em que Petkovic me fez chorar
Eduardo Suguiyama Lágrimas do futebol: o dia em que o São Paulo me fez chorar – Libertadores 2008
Flávio Moreira Lágrimas da bola: o dia em que um vexame do Palmeiras me fez chorar
Glauco Costa Lágrimas da bola: O dia em que tive a certeza de que o sentimento nunca ia parar
Janaína Santista Lágrimas do futebol: o dia em que o Santos me fez chorar: o HEPTA tão esperado
Junior Soffner Lágrimas do futebol: o dia em que o rebaixamento do Palmeiras me fez chorar
Lucas Tieppo Lágrimas do futebol: o dia em que o Santos de Diego e Robinho me fez chorar
Márcio Donizete Lágrimas do futebol: o dia em que a Copa do Mundo de 1998 me fez chorar
Matheus Adami Lágrimas do futebol: o dia em que o Flamengo me fez chorar
Matheus Martins Fontes Lágrimas do futebol: o dia em que São Marcos me fez chorar…de alegria!
Nagila Luz Lágrimas do futebol: o dia em que o Santos conquistou a América e me fez chorar
Natalia Zancheta Lágrimas do futebol: o dia em que o Corinthians me fez chorar – Mundial de 2012
Rafael Alaby Lágrimas do futebol: o dia em que o Corinthians me fez chorar
Roberto Junior Lágrimas do futebol: o dia em que o Corinthians me fez chorar- Libertadores 2012
Rogério Lagos Lágrimas do futebol: o dia em que o Palmeiras me fez chorar – Mercosul 2000
Ronald Capita Lágrimas do futebol: o dia em que o Flamengo de Guarulhos me fez chorar
Thiago Jacintho Lágrimas da Bola: O dia que o São Paulo levou uma virada e me fez chorar

Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

* Curtiu esta matéria? Siga o autor no Twitter: @robertojsjunior



Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.