Lágrimas do futebol: o dia em que o Flamengo me fez chorar

Reprodução/YouTube

O ano é 2002. Dia 24 de janeiro. O Flamengo acabava de ser vice-campeão da Copa Mercosul de 2001 – a final, por problemas políticos na Argentina, teve de ser adiada para o ano seguinte. Resultado triste demais para um garoto de 13 anos, que vibrava aos montes com as conquistas rubro-negras.

O Flamengo já havia me dado uma alegria gigantesca em maio de 2001, quando venceu o Vasco de forma épica na decisão do Campeonato Carioca. Por isso, nada mais natural do que acreditar no clube na campanha da Copa Mercosul de 2001.

No Grupo 2 do torneio ao lado do San Lorenzo (Argentina), Olímpia (Paraguai) e Nacional (Uruguai), o Flamengo não teve problemas para se classificar em primeiro lugar na chave. Nas quartas de final, o clube não deu chance ao Independiente da Argentina: 4 a 0 no Maracanã, após empate por 0 a 0 no estádio Libertadores de América.
Na semifinal, o Flamengo bateu de frente com o Grêmio. Dois empates (2 a 2, no Rio, e 0 a 0, em Porto Alegre), levaram a decisão para os pênaltis. Deu Flamengo, por 4 a 2. O rubro-negro estava na final!

E eu, vibrava. Imaginava que o Flamengo, novamente, seria campeão da Copa Mercosul, assim como em 1999, em cima do Palmeiras, no antigo Palestra Itália. Para isso, bastava apenas vencer o San Lorenzo, rivais derrotados na primeira fase.

A primeira partida aconteceu em 12 de dezembro, no Maracanã. Empate duro, por 0 a 0, mas perfeitamente reversível na Argentina. Uma semana depois, em Buenos Aires, o jogo não acontece. O motivo: em crise profunda, o governo argentino decretou estado de sítio. Caos no estádio Nuevo Gasómetro e jogo adiado para janeiro. Fiquei sem meu presente de Natal antecipado.

O ano virou, 2002 chegou e a partida, enfim, aconteceu. Leandro Machado abriu o placar para o Flamengo aos 10 minutos de jogo. Eu já vibrava, torcia ainda mais. Estévez, no segundo tempo, deixou tudo igual. Pênaltis.

Juan, capitão do time naquele jogo, abriu a sequência errando. Mal sinal. Mas Julio Cesar estava lá e defendeu. Petkovic e Andrezinho marcaram. Julio Cesar defendeu outra cobrança. Cássio errou. Os argentinos empataram. Edson marcou, o argentino também. Tudo igual, 3 a 3. E vieram as temidas alternadas. Logo de cara, Roma – o apelido era por causa da semelhança física com Romário – errou. E o argentino Cápria deu o troféu ao San Lorenzo.

Injusto? Talvez. Se o jogo tivesse sido em dezembro, provavelmente o Flamengo teria vencido, vai saber. Fato é que, naquela noite, foi dormir chorando.

VEJA OUTRAS HISTÓRIAS DO ESPECIAL “LÁGRIMAS DA BOLA”:

CONVIDADO ESPECIAL – MAURO BETING: “CHORANDO NO CAMPO

Alex Tavares Lágrimas do futebol: o dia em que o São Paulo foi tricampeão da Libertadores
Allan Simon Lágrimas do futebol: o dia em que o Palmeiras de Valdivia quase me fez chorar
Barbara Scarelli Lágrimas da bola: o dia em que o Corinthians ganhou o mundo e me fez chorar
Daniel Almeida Lágrimas do futebol: o dia em que o São Paulo me fez chorar – Mundial 2005
Danielle Barbosa Lágrimas do futebol: o dia em que o Real Madrid me fez chorar
Derly Prado Júnior Lágrimas do futebol: o dia em que o Palmeiras me fez chorar
Diogo Miranda Lágrimas do futebol: o dia em que Petkovic me fez chorar
Eduardo Suguiyama Lágrimas do futebol: o dia em que o São Paulo me fez chorar – Libertadores 2008
Flávio Moreira Lágrimas da bola: o dia em que um vexame do Palmeiras me fez chorar
Glauco Costa Lágrimas da bola: O dia em que tive a certeza de que o sentimento nunca ia parar
Janaína Santista Lágrimas do futebol: o dia em que o Santos me fez chorar: o HEPTA tão esperado
Junior Soffner Lágrimas do futebol: o dia em que o rebaixamento do Palmeiras me fez chorar
Lucas Tieppo Lágrimas do futebol: o dia em que o Santos de Diego e Robinho me fez chorar
Márcio Donizete Lágrimas do futebol: o dia em que a Copa do Mundo de 1998 me fez chorar
Matheus Adami Lágrimas do futebol: o dia em que o Flamengo me fez chorar
Matheus Martins Fontes Lágrimas do futebol: o dia em que São Marcos me fez chorar…de alegria!
Nagila Luz Lágrimas do futebol: o dia em que o Santos conquistou a América e me fez chorar
Natalia Zancheta Lágrimas do futebol: o dia em que o Corinthians me fez chorar – Mundial de 2012
Rafael Alaby Lágrimas do futebol: o dia em que o Corinthians me fez chorar
Roberto Junior Lágrimas do futebol: o dia em que o Corinthians me fez chorar- Libertadores 2012
Rogério Lagos Lágrimas do futebol: o dia em que o Palmeiras me fez chorar – Mercosul 2000
Ronald Capita Lágrimas do futebol: o dia em que o Flamengo de Guarulhos me fez chorar
Thiago Jacintho Lágrimas da Bola: O dia que o São Paulo levou uma virada e me fez chorar

Crédito da foto: Reprodução/YouTube



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.