Lyoto Machida se recupera de cirurgia e não tem previsão de volta no UFC

Getty Images

Considerado uma das lendas do MMA do Brasil, Lyoto Machida passa por seu momento mais complicado no UFC após duas derrotas seguidas entre os pesos-médios. E da maneira que ocorreram – para Luke Rockhold e Yoel Romero – muitos fãs (e até a sogra!) pedem para que o “Dragão” se aposente do Ultimate.

LEIA TAMBÉM:
Em queda livre, Pezão faz “luta de sobrevivência” no UFC 190
“Aldo correu da luta e não acho que voltará”, provoca McGregor
Chael Sonnen se irrita com rival de McGregor e divulga número de celular no Facebook
Campeão do UFC, Weidman afirma que venceria Pelé no futebol

Trajetória nos médios
Após perder para o norte-americano Phil Davis em decisão polêmica no Rio de Janeiro em agosto de 2013, Lyoto decidiu descer um degrau e lutar entre os médios da organização. Logo o lutador conseguiu resultados impressionantes. O brasileiro derrotou o amigo Mark Muñoz, ainda em 2013, e Gegard Mousasi por decisão unânime no início de 2014.

Mesmo com apenas duas lutas disputadas na divisão, Lyoto foi credenciado pelo presidente do UFC, Dana White, para o combate contra o atual campeão Chris Weidman, já que o desafiante número 1, Vitor Belfort, não pôde lutar pela proibição do uso de TRT.

Cinturão contra Weidman
O combate, realizado em julho de 2014, foi muito equilibrado e Machida teve que sair um pouco de suas características – o contra-ataque – em busca de surpreender o adversário, que vinha com moral após dois triunfos sobre a lenda Anderson Silva. Em cinco rounds exaustivos, Weidman foi mais agressivo nos momentos decisivos e manteve o cinturão após decisão unânime.

Em dezembro, Lyoto estava de volta ao octógono, agora na Arena Barueri, e nocauteou CB Dollaway ainda no primeiro round com um chutaço na costela para voltar a ficar em alta na categoria.

Crise
Em abril deste ano, o lutador de 37 anos fez um confronto aguardado contra Luke Rockhold que seria decisivo para o vencedor se credenciar como desafiante pelo cinturão diante do melhor entre Weidman e Belfort. O que há muito tempo não se via – talvez desde a derrota para Jon Jones em 2011 – aconteceu.

O brasileiro esteve irreconhecível e foi amplamente dominado por Rockhold, que encaixou um estrangulamento (mata-leão) logo no segundo round e viu o árbitro parar a luta. A chance de recuperação se transformou em nova frustração, no último final de semana, quando Machida foi finalizado pelo cubano Yoel Romero no terceiro round após uma série de cotoveladas. A surra foi tamanha que Lyoto precisou operar o nariz após o evento.

Futuro
Nessa sexta-feira, o empresário Ed Soares negou que o Dragão vá se aposentar do UFC nesse momento. Atualmente Lyoto é o quinto do ranking da divisão, atrás de Weidman (C), Rockhold (1), Jacaré (2), Romero (3) e Belfort (4), e não tem previsão de retorno, uma vez que recebeu suspensão médica por tempo indeterminado após a derrota do último final de semana. Mas uma coisa é certa: assim como o empresário disse, o baiano parece que não irá largar o osso enquanto seu corpo pedir mais.

Curtiu a matéria? Siga o autor no Twitter: @fontes_matheus.
Facebook: Matheus Martins Fontes.

Foto: Getty Images



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.