Marília já venceu os quatro grandes de São Paulo

Crédito: Divulgação Marília A. C.

O Marília Atlético Clube – MAC realizou nesse ano uma campanha monótona na série principal do Campeonato Paulista, sendo rebaixado para a série de acesso antecipadamente. A campanha não lembrou em nada passagens marcantes do clube alviceleste, que ao longo de sua história já venceu os quatro grandes do estado de São Paulo, são duas vitórias contra o Palmeiras, três contra o Corinthians e quatro tanto contra o São Paulo, como contra o Santos.

Veja o vídeo da conquista da Copa São Paulo sobre o Fluminense.

Fundado em 1942, O MAC nasceu sobre a alcunha de  Esporte Clube Comercial e possuía inicialmente as cores vermelho e branco. Apenas em 1947 passa a adotar o nome de Marília Atlético Clube e as cores azul e branco. Em seus anos iniciais, o Marília revezava a sua participação nas competições externas com outro clube da cidade, o São Bento. Quando um clube se licenciava das competições, o outro assumia o papel de representante da cidade, apoiado pela população mariliense. Era muito difícil a manutenção financeira dos dois clubes, o que obrigava a oscilação entre amadorismo e competições profissionais.

A partir da década de 70, com a ascensão à série principal do campeonato paulista, o clube passa a ter grande projeção. Nessa época o MAC figurou por 14 vezes seguidas o auge das divisões do Paulistão, foi também nesse período que o time de juniores chegou ao título da Copa São Paulo. Das treze vitórias contra os chamados quatro grandes de São Paulo,  oito datam desse período. A partir de 1985, o Marília passou por séria crise financeira, o que acarretou em um período desolador para o torcedor maqueano, cujo ápice foi o descenso à série B1-A, que corresponderia à 4ª divisão do Campeonato Paulista.

Após a reestruturação administrativa do clube, no ano de 2001, quando o time disputava a série A3, e graças à criação Liga Rio-SP, o Marília garantiu acesso à série A2. Em 2002, a retomada do clube foi coroada com a conquista da série A2 e o acesso à série principal, no mesmo ano o MAC também conseguiria acesso à série B do Campeonato Brasileiro ao garantir o vice-campeonato da série C.  O ano de 2003 foi memorável para a história do clube, além de se manter na série principal do Campeonato Paulista, em posição intermediária, o Marília consegui excelente participação na série B do Campeonato Brasileiro, disputando quandrangular final com Botafogo, Palmeiras e Sport, terminando a disputa na quarta posição. Neste ano, apenas duas equipe conquistavam o acesso.

O Marília disputou a série B do Campeonato Brasileiro até 2008, em 2007 o clube quase conseguiu o acesso. Desta vez, quatro equipes conquistavam o direito o acesso, o MAC alcançou a 6ª colocação, após bela campanha e apenas 6 pontos atrás do 4º colocado, o Vitória.  Em 2008, ocorria o fim da parceria entre o clube e o principal investidor em sua história. As dificuldades financeiras voltaram a se refletir no desempenho em campo. O clube foi rebaixado à série A2 do Campeonato Paulista em 2009 e no mesmo ano disputou a série C do Campeonato Brasileiro. Em 2011 seria rebaixado à série A3 do Campeonato Paulista e no mesmo ano à série D do Campeonato Brasileiro.

A partir de 2013, o foco do clube foi tentar se reerguer, acessos consecutivos trouxeram o MAC novamente à elite do Paulistão, mas a campanha sofrível ocasionou o rebaixamento da equipe de forma melancólica. A oscilação, no entanto, não abala o sentimento dos torcedores pelo Tigre do oeste paulista, o Abreuzão, estádio Bento de Abreu Sampaio Vidal, foi reformado e remodelado para receber 19.000 torcedores dispostos a apoiar o clube  novamente para o acesso à elite principal.

 Principais Títulos:

Campeonato Paulista série A2 (1971 e 2002)

Copa São Paulo de Futebol Jr. de 1979  (juniores)

Campanhas de destaque:

4º lugar no Campeonato Brasileiro série B em 2003, 6º lugar no Campeonato Brasileiro série B em 2007, vice-campeonato série C do Campeonato Brasileiro em 2002.

Jogadores com passagens de destaque no cenário nacional:

Serginho Chulapa, Marcio Rossini, Paulo Cesar e Jorginho.