Minotauro tem “novo” Bob Sapp pela frente no UFC 190

Reprodução/Facebook

Encarar um adversário de 2,13m não deve ser fácil em nenhum esporte. Se tratando de MMA e você tendo incríveis 22 centímetros a menos do que ele, então, a tarefa passa de difícil à missão ingrata. O ponto a favor do brasileiro Antonio Rodrigo “Minotauro” Nogueira, que encara o grandalhão Stefan Struve neste sábado, no UFC 190, é que ele adora um desafio complicado.

Entre os vários combates épicos protagonizados pelo ex-campeão de 39 anos, o diante do também gigante Bob Sapp, em 28 de agosto de 2002, não sai da memória. Prova disso é que no início desta semana Minotauro comparou o embate contra Struve àquele no Pride FC.

“Não tem ninguém (sparing) para me ajudar desse tamanho, né?! Para a minha luta contra o Bob Sapp o máximo que consegui foi um cara de 140 kg, mas ele tinha 170kg. Peguei uma galera boa para me ajudar, caras longos e estamos treinando essa parte de sair dos golpes, chutes principalmente, joelhadas e tentar fazer uma estratégia que se encaixe, mas o corpo dele é maior do que todos”, avaliou Minotauro.

A diferença entre os grandões Struve e Bob Sapp é exatamente essa. O primeiro chama a atenção por ter 2,13m. Já o segundo tinha “apenas” 2m, mas pesava quase 170kg – na época não existia o limite de 120kg para o peso pesado.

Há 13 anos, Minotauro levou a melhor. Depois de sofrer bastante com as quedas e socos de Bob Sapp, ele se aproveitou do melhor preparo físico e, principalmente, da técnica do Jiu-Jitsu. Foi graças a ela que ele conseguiu encaixar uma chave de braço aos 4 minutos do segundo round e sair com a vitória no Pride.

Resta saber se a mesma tática, em 2015, dará resultado contra outro adversário que chama a atenção pelo tamanho. Para os torcedores de Minotauro é bom que dê. Isso porque o brasileiro vem de duas derrotas contundentes e uma terceira pode decretar o fim da linha para ele no UFC. A estatística a favor é que ele venceu seus dois últimos combates exatamente no Rio de Janeiro.

Veja o que Minotauro traçou como estratégia para esse combate
“Espero fazer uma boa luta. Uma tática de ficar mais no corpo a corpo é vantagem. Quer fugir do braço esticado, chutes altos, chutes na perna? É encurtar a distância, um boxe na curta distância. O desfecho perfeito seria uma finalização ou nocaute. Lutar em casa é maravilhoso, pegar o meu carro, chegar à arena em dois minutos. Sou um cara caseiro e me sinto muito bem com essa energia do torcedor.”

Como chega Stefan Struve para a luta
Assustador pelo tamanho e tendo a vantagem da juventude (tem 12 anos a menos), o holandês também não vem de boa fase. As duas últimas vezes que entrou no octógono do UFC deixou o local nocauteado. Foi assim diante de Mark Hunt, em 2013, e Alistair Overeem, em dezembro do ano passado. Antes disso, porém, emendou uma sequência de quatro vitórias no Ultimate, incluindo um nocaute sobre Stipe Miocic, atualmente o terceiro do ranking do peso pesado.

Crédito da foto: Reprodução/Facebook



Jornalista formado no UniCeub. Cobre esportes desde 2008: dos campeonatos amadores, evoluindo aos estaduais, chegando aos Nacionais até a Copa do Mundo de 2014. De 2010 a 2012 atuou como correspondente de esportes do Correio Braziliense, no Rio de Janeiro. Atualmente, editor do caderno Torcida, do Jornal de Brasília. Amante de um bom samba, futebol e cerveja.