Opinião: Está na hora de Renan Barão mudar de categoria no UFC

Potiguar alfinetou Dillashaw em entrevista ao Combate.com

Renan Barão é um dos melhores lutadores do UFC. Na maior organização de MMA do planeta, ninguém se torna campeão por acaso ou “sorte”. Mas está na hora de o potiguar deixar a categoria dos galos (61kg) e se aventurar entre os penas (66kg).

LEIA MAIS:
Se perder, Renan Barão deve subir de categoria no UFC

 Depois de duas derrotas para o americano TJ Dillashaw – na primeira, no UFC 173, em maio do ano passado, ele perdeu o cinturão; na segunda, no último sábado (25), perdeu a oportunidade de recuperar o título –, dificilmente Barão terá outra chance de disputar o título da categoria até 61kg. Sendo assim, o lutador de Natal tem duas opções: ou se mantém entre os galos e recomeça na divisão em que foi rei entre 2012 e 2014 (de forma interina e, depois, definitiva), ou, então, sobe de categoria.

A segunda opção é a melhor para Barão. Primeiro porque ele tem nível para fazer frente a gente como Ricardo Lamas, Max Holloway, Cub Swanson, entre outros que estão nas primeiras posições do ranking dos pesos penas. Ah, mas e José Aldo? Companheiro de treinos de Barão, Aldo foi um dos motivos pelos quais Renan não lutou como pena no UFC anteriormente. Mas o reinado de Aldo nos 66kg não parece ter fim e o caminho natural para o manauara é subir para o peso leve (70kg).

Aldo tem compromisso contra o irlandês Conor McGregor, campeão interino dos penas. Caso vença o europeu, restará nenhum desafio para o brasileiro entre os penas, e o caminho estará aberto para a mudança de peso. Assim, Barão não terá impedimentos para tentar refazer sua história no UFC em um peso maior.

Isso beneficiaria o potiguar. Barão sofre para bater os 61kg exigidos para lutar como galo. Na véspera do UFC 177, em agosto do ano passado – quando faria a revanche contra Dillashaw –, passou mal durante o processo e foi retirado do card. No último dia 25, teve problemas com a balança e precisou tirar até a cueca para chegar à marca. Cortar peso é sacrificante para o lutar e cobra o preço em cima do octógono. Como o processo – para Barão e muitos outros – é brutal, o lutador tende a se cansar com mais facilidade. Foi exatamente isso que tem acontecido com Renan nos últimos compromissos.

Altura e envergadura não seriam exatamente um problema na categoria de cima. Barão tem 1,70m de altura. José Aldo, também. Chad Mendes, desafiante derrotado ao cinturão interino dos penas, 1,67m. E Conor McGregor, campeão interino até 66kg, tem 1,72m. Para se ter uma ideia de quão bom seria para Barão lutar nos penas, Frankie Edgar, ex-campeão dos leves (70kg) e atual lutador dos penas tem 1,67m.

Barão tem de subir de categoria no UFC. E isso deve acontecer mais cedo ou mais tarde. Dificilmente um lutador jovem (tem apenas 28 anos) e com excelente cartel (33 vitórias, 3 derrotas e 1 “no-contest”) vai querer ficar estagnado.

Crédito da foto: Reprodução/Instagram



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.