Opinião: Hoje entra em campo o melhor time da história do All-Star Game da MLS

Amistoso anual reune os craques do campeonato contra uma equipe européia. Muito mais do que resultado, a partida de hoje promete um jogo bonito para coroar a ótima temporada de 2015 da MLS.

LEIA MAIS:
Pirlo estréia e New York City vence Orlando em casa; assista

Convenhamos, quem hoje não gostaria de estar no lugar de Pablo Mastroeni? O técnico do Colorado Rapids será o responsável por comandar o All-Star Team de 2015, logo mais, diante do Tottenham Hotspur. O argentino tem a difícil (e por que não divertida?) tarefa de encontrar a melhor formação para Kaká, David Villa, Steven Gerrard, Clint Dempsey e Sebastian Giovinco jogarem juntos.

Bem que você gostaria que o técnico do seu time tivesse a mesma preocupação, certo?

E não pense que o show ficará apenas por conta dos jogadores estrangeiros. Os demais americanos, muitos acostumados a defender sua Seleção, também tem igual responsabilidade. Provando que toda grande equipe começa com um grande goleiro, Rimando mostrará que merecia ser o titular da última Copa Ouro, Omar Golzalez comandará a zaga e, ajudando na construção do ataque, Dempsey será um dos nomes mais aplaudidos pela torcida.

Apesar da festa, das diversas ações de marketing e partidas amistosas que estão acontecendo na cidade sede de Colorado esta semana, o All-Star Game, tradicional em todas as modalidades esportivas americanas, já tem um significado muito maior do que ser apenas uma comemoração ou a chance de jogadores da MLS aparecerem para o mercado europeu. A vitória contra o Bayern de Munique no ano passado, recheado de jogadores que tinham acabado de vencer a Copa do Mundo no Brasil, foi o que faltava para que a Major League Soccer mostrasse sua força como unidade e, pegando carona na grande atuação da Seleção dos Estados Unidos no Mundial, dissesse para o mundo “chegamos para ficar”.

A 20º temporada da MLS tem sido pura alegria para jogadores, torcedores e para o futebol, que ganhou uma forte concorrência dentro e fora de campo. Jogadores disputados no cenário internacional como Pirlo, Villa, Lampard e Giovinco, preferiram ir para os Estados Unidos, decepcionando grandes clubes europeus, e fazer parte da nova geração do futebol americano. Mesmo que alguns já na fase final de carreira, ao menos para ter o gosto de participar e deixar sua marca no que caminha para ser uma das principais ligas do mundo.

O jogo de hoje, que tem a equipe do All-Star Game como favorita, tem um significado muito maior para os americanos do que simplesmente sair com a vitória. Enquanto a partida contra o Bayern mostrou potencial e grande qualidade técnica, hoje, além da competitividade habitual, a equipe ganha a descontração e o talento dos grandes nomes do futebol mundial que irão defender os motivos pelos quais escolheram jogar pela MLS.
Estarão junto, vestindo uma só camisa, e dizendo: “Podem vir. Estamos prontos”.

Além dos nomes já citados, Michael Bradley, Robbie Keane, o brasileiro Juninho e a sensação Kei Kamara, artilheiro da competição, também estarão à disposição do treinador argentino. Frank Lampard é a única baixa por lesão.

Parece até uma partida de video-game ter de escalar uma equipe dessas para um jogo de futebol. Mas não é. E terá ainda todo o capricho que só os americanos tem na hora de organizar um grande evento esportivo.

Que time, amigos!
E que jogo teremos hoje!

Crédito da foto: Divulgação



Jornalista Esportivo formado pelo Mackenzie e pela UCLA com passagem pela Rádio Bandeirantes, fundador do perfil Arquivo do Futebol (@futebolarquivo) e jornalista do MLS Brasil. Escreve para o Torcedores.com desde 2014. Twitter: @paulogcanova