Osmar Santos: valeu, Pai da Matéria

Hoje o Pai da Matéria faz 66 anos. Quando eu era bem pequeno. Meu pai me deu uma fita cassete. Lá tinha um final de um jogo do Corinthians contra o Flamengo no Maracanã. Um homem falava freneticamente um monte de frases bonitas enquanto tocava um frevo de fundo. Acho que era Banho de Cheiro, com Elba Ramalho. Era 1984. Tinha cinco anos. Me vi encantado. Era Osmar Santos.

LEIA MAIS
“Capricha, garotinho, capricha!” 6 momentos que Osmar Santos eternizou com sua voz

O tempo passou, eu comecei a jogar botão e tentei imita-lo, sem sucesso. Passei a seguir mais de perto seu irmão Oscar Ulisses. Queria narrar como ele, até hoje não consegui. Mas foi a semente. Osmar era o que me ligava ao meu pai em tempos difíceis. A gente ouvia a Rádio Globo no radio da sala. Ele imitava o Osmar. Td que meu pai fazia lá estava ele imitando o Osmar.

Já jornalista tomei contato com a narração inteira do gol do Basílio. Não conseguia parar de chorar de tão bonito texto. Em 2005 primeiro jogo da 105FM, vou buscar água pro Everaldo Marques e quem eu encontro no Anacleto Campanella? Ele. Olha pra mim na cadeira de rodas e sorri. E novamente eu choro como aquele menino do Capão Redondo.

Hoje ele é meu chefe. Dá o nome e sua tradição para a equipe de esportes da Rádio Globo. Ele continua ensinando nos dias de hoje que o bom da vida está no simples.

Obrigado Osmar. Hoje sou um fã que joga no seu time. DEUS! MUITO BOM! Tudo! Sabias palavras.

Parabéns, Pai da matéria.

Foto: Reprodução/Facebook



Narrador esportivo da Rádio Globo e da RedeTV! Cobri três Copas do Mundo (2006, 2010 e 2014), duas edições de Jogos Olímpicos de Verão (2008 e 2012) e uma de Inverno (2010), além de uma edição de Jogos Pan-Americanos (2011). Mais de 30 modalidades esportivas já narradas em 10 anos de carreira.