Por divida, São Paulo não receberá parte do dinheiro da venda de dois jogadores

Grêmio
Getty Images

A fase extra-campo do São Paulo não é das melhores, já que o clube está devendo salários aos jogadores e nesta quinta-feira mais um má notícia chegou ao Tricolor. Segundo o jornal Estado de S. Paulo a justiça bloqueou parte do dinheiro que chegaria ao clube nas vendas dos volantes Denílson e Paulo Miranda.

A decisão foi anunciada no Diário Oficial desta quinta e obrigou o São Paulo não receber R$ 3.119.479,99 dos R$ 14 milhões recebidos pelas vendas dos jogadores. Isso porque o Tricolor está com uma dívida de 13 anos atrás quando contratou o lateral Jorginho Paulista.

Na época o São Paulo fez uma parceria com a empresa Prazan Comercial Ltda, que foi quem intermediou a contratação do jogador vindo do Mogi Mirim. Em 2002 o jogador veio por cerca de R$ 730 mil e com a divida e o valor corrigido o número subiu para pouco mais de R$ 3 milhões. A ação teve início em 2006 e a justiça apenas determinou algo que já havia sido decidida com a venda de Rodrigo Caio, que aparentemente foi cancelada.

“Deverá o Banco Central do Brasil reter e depositar em conta judicial vinculada a estes autos os valores oriundos da(s) operação(ões) entre o São Paulo Futebol Clube e as agremiações Red Bull Salzburg e Al Wahda referentes aos contratos de transferência dos atletas Jonathan Doin (Paulo Miranda) e Denilson Pereira Neves (Denilson) até o limite de R$ 3.119.479,69”, diz o texto do Diário Oficial.

Foto: Getty Images



Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.