Relembre o dia que Corinthians e Vasco decidiram quem era o melhor do mundo

14 Jan 2000: The Corinthians celebrate victory after the Final of the World Club Championship against Vasco de Gama played at the Maracana Stadium in Rio de Janeiro, Brazil. Corinthians won 4-3 on penalties after extra time had ended goalless. Mandatory Credit: Shaun Botterill /Allsport

Corinthians e Vasco já fizeram confrontos históricos, mas um deles foi mais importante que todos. Os dois já decidiram um Mundial de Clubes e neste texto, recordaremos o dia 14 de janeiro de 2000, data em que o mundo foi pintado de preto e branco.

Existem coisas no futebol que todo torcedor precisa sentir ao menos uma vez na vida. Seja ver um jogo no Camp Nou, San Siro, Wembley ou uma final de campeonato no Maracanã. Eu confesso que tive esse prazer: o de ver uma decisão no antigo Maracanã.

O jogo em questão era a final do Mundial de Clubes da Fifa, disputado no ano de 2000 aqui no Brasil e que teve como finalistas Vasco x Corinthians, realizada em 14 de janeiro daquele ano. O Timão se saiu melhor em um grupo que tinha além dele, Real Madrid, Raja Casablanca e Al-Nassr. O jogo de maior destaque foi o empate em dois gols entre o time paulista e a equipe espanhola, com direito a um gol de Edilson, após um drible desconcertante em Karembeau. Já o cruzmaltino passou com três vitórias sobre Necaxa (MEX), South Melbourne (AUS), além de uma exibição de gala sobre o Manchester United (ING), com placar final em 3 a 1.

O torneio seria decidido em jogo único no Maracanã e nem mesmo o fato de a TV Globo não transmiti-lo tirou o ímpeto da torcida em acompanhar a competição. Muito pelo contrário, a TV Bandeirantes ganhou muitos pontos com a transmissão da partida e ela foi uma partida daquelas que não teve gols, mas muita tensão. Claro que eu estava no melhor lugar possível para ver este jogo. Eu era um dos 73 mil presentes às arquibancadas do santuário do futebol mundial.

Assim que Dick Jol (HOL) assoprou o apito, o jogo começou e o primeiro lance de real perigo foi aos 13 minutos, quando Edilson entrou pela direita e cruzou na área para Luizão. O atacante corintiano dominou, mas mandou por cima do gol defendido por Hélton. Aos 20, o Vasco deu o primeiro susto, com Edmundo recebendo perto da meia-lua, mas o chute saiu por cima da meta defendida por Dida. Ainda tivemos mais ataques. Aos 37, Ricardinho encontrou Marcelinho no meio da área e o “Pé de anjo” chutou para defesa do goleiro vascaíno.

No intervalo, Osvaldo de Oliveira tirou Ricardinho (que já acusava o cansaço de uma longa temporada de 1999 e que só teria férias após esta decisão) e colocou Edu Gaspar em seu lugar e o segundo tempo começou ainda mais quente que o primeiro. Aos cinco minutos, Edilson recebeu passe pela meia direita e avançou para chutar rente a trave direita de Hélton. A resposta do cruzmaltino foi quase imediata. Felipe lançou na área e Fabio Luciano tirou de cabeça, no rebote, Gilberto chutou para fora, assustando a Fiel torcida.

Ainda tivemos um escanteio batido por Marcelinho, aos 18, que passou por Luizão, mas o centroavante não aproveitou a chance. No minuto 35, Rincón tabelou com Edu e chutou por cima do gol de Hélton.

Prorrogação

Como o jogo terminou empatado em seu tempo normal, houve a necessidade de disputa de um tempo extra. Nova mudança no Corinthians foi processada, com a entrada de Gilmar Fubá e a saída de Vampeta do campo de jogo. O primeiro ataque de perigo foi do Corinthians. Edilson recebeu perto da área e podia passar para Marcelinho Carioca, mas o chute saiu alto, por cima do gol.

O time carioca também trocou jogadores. Felipe, Ramon e Juninho Pernambucano saíram para as entradas de Alex Oliveira, Donizete Pantera e Viola. O Corinthians mandou a campo Fernando Baiano no lugar de Edilson aos 8 do segundo tempo da prorrogação. Alex Oliveira, inclusive, ameaçou o gol de Dida numa linda cobrança de falta. Romário lançou na área e Edmundo exigiu boa defesa de Dida aos 14. A partir daí, os dois times começaram a se poupar esperando a cobrança de pênaltis.

Edmundo fez a alegria da Fiel

Para conhecer o primeiro campeão mundial de clubes com a chancela da Fifa, houve a necessidade de cobrança de pênaltis e elas foram feitas próximo ao local onde estava a torcida do Vasco.

A equipe paulista abriu os trabalhos com Rincón, que acertou a trave, mas a bola entrou. Romário empatou o placar, ainda que Dida acertasse o canto que o “Baixinho” tinha batido.

Fernando Baiano, então um jovem recém-saído da base corintiana, assumiu a responsabilidade de bater seu pênalti e não decepcionou fazendo o 2-1 e Alex Oliveira manteve o placar igualado.

Luizão fez o terceiro do alvinegro – com Hélton acertando o canto, mas não pegando e a primeira bola fora foi vascaína. Gilberto desperdiçou sua cobrança ao chutar à meia altura para tranquila defesa de Dida.

Na quarta penalidade, Edu Gaspar fez o gol com um chute rente a trave, ou como costuma-se dizer no mundo do futebol, na bochecha da trave e a sobrevida do Vasco estava nas duas cobranças seguintes. Se Viola perdesse, a fatura estaria liquidada. Só que ex-corintiano tomou longa distância e fez seu tento e com isso, jogou a bomba para Marcelinho Carioca. O camisa 7 poderia encerrar o assunto, mas chutou à meia altura no canto esquerdo de Hélton. O camisa 12 do cruzmaltino defendeu e a decisão estava nos pés de Edmundo. O camisa 10 partiu para a bola e mandou alto, longe do gol defendido por Dida, que nem vibrou com o resultado de cara, mas ali estava definido o primeiro campeão mundial de clubes da Fifa, o Sport Club Corinthians Paulista.

Claro que o jogo poderia ter tido gols com bola rolando, mas acompanhar um enredo com tensão e emoção foi muito bom para um rapaz de 25 anos e essa experiência levo para a vida, já que tive o prazer de ver um jogo dessa magnitude no antigo Maracanã.

CORINTHIANS 0 (4) x (3) 0 VASCO DA GAMA

Data: 14/01/2000
Local: Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
Árbitro: Dick Jol (HOL)
Cartões amarelos: Freddy Rincón, Adílson, Índio, Luizão (Corinthians), Felipe, Amaral, Paulo Miranda e Edmundo (Vasco)
Pênaltis: Corinthians – Freddy Rincón, Fernando Baiano, Luizão e Edu; Marcelinho Carioca desperdiçou. Vasco – Romário, Alex Oliveira e Viola; Gilberto e Edmundo desperdiçaram.

CORINTHIANS: Dida; Indio, Adilson, Fabio Luciano e Kleber; Vampeta (Gilmar, antes do início da prorrogação), Freddy Rincón, Ricardinho (Edu, no intervalo) e Marcelinho Carioca; Edilson (Fernando Baiano, aos 8min do 2° tempo da prorrogação) e Luizão Técnico: Oswaldo de Oliveira

VASCO DA GAMA: Helton; Paulo Miranda, Odvan, Mauro Galvão e Gilberto; Amaral, Felipe (Alex Oliveira, aos 12min do 1° tempo da prorrogação), Ramon (Donizete, aos 7min do 2º tempo da prorrogação) e Juninho (Viola, aos 6min da prorrogação); Romário e Edmundo. Técnico: Antônio Lopes

Crédito da foto: Getty Images