Renault de Alonso me marcou por visual e títulos na F1

SHANGHAI, CHINA - OCTOBER 16: Fernando Alonso of Spain and Renault in action at the Chinese F1 Grand Prix at the Shanghai International Circuit on October 16, 2005, in Shanghai, China. (Photo by Paul Gilham/Getty Images)

Como um fã de Fórmula 1, sou apaixonado por quase todos os carros clássicos dos anos 1950 aos 1990. Mas, para fugir das escolhas óbvias, resolvi contar neste especial qual é um modelo que me marcou durante uma temporada que acompanhei mais profundamente, a de 2005. Meu carro marcante é o Renault R25, liderado por Fernando Alonso.

LEIA MAIS
McLaren “caixinha de cigarro”: meu carro favorito da Fórmula 1

A pintura utilizada pela Renault naquela época, um tom de azul marcante pelo patrocínio de uma marca de cigarros que vinha desde o final da Benetton, comprada pela montadora francesa em 2001, ficava espetacular com o amarelo tradicional da marca que agora voltava a ter equipe própria na F1.

Mas não só a aparência foi algo marcante, como também seus resultados. Após um desenvolvimento que demorou alguns anos, entre 2002 e 2004, para dar resultados, a Renault aproveitou mudanças no regulamento para finalmente ser a primeira equipe a superar a Ferrari após cinco temporadas de domínio absoluto com Michael Schumacher.

A Renault também colocava o espanhol Fernando Alonso na hall dos grandes, o dos campeões. Alonso não deu chance aos rivais e faturou seu primeiro título. O bicampeonato viria no ano seguinte, batendo Schumacher em uma disputa que se arrastou até a última corrida, no Brasil. Foi o fim da era de sucesso da equipe francesa. Alonso também não foi mais campeão.

E a Renault, com o fim dos patrocínios da indústria do tabaco, também mudou sua pintura na temporada seguinte. A chegada de uma seguradora fez a equipe trocar o azul pelo branco, que não combinou tão bem com o amarelo. Pelo menos aquelas cores, o azul e amarelo, ficaram marcadas na história da F1 e se despediram como campeãs.



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Repórter e apresentador da TV Torcedores. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016.