Rio de Janeiro terá centro de combate ao terrorismo na Olimpíada

A preparação para as Olimpíadas de 2016 está à toda no Rio de Janeiro. Para aumentar as medidas de segurança durante o evento, o Ministério da Defesa decidiu criar um Centro Integrado de Combate ao Terrorismo. O local deverá ser entregue até o começo do próximo ano e anúncio aconteceu na última quinta-feira, 30 de julho.

De acordo com o chefe da assessoria especial de grandes eventos do órgão federal, Luiz Felipe Linhares, o centro terá entre suas atribuições o monitoramento de incidentes que tenham relação com atos terroristas.

A direção do centro pretende entrar em cooperação com órgãos nacionais e internacionais em busca de troca de informações com países que já tem tradição na prevenção a crimes deste tipo. Além disso, foram enviadas missões a eventos esportivos de grande porte como o Pan-Americano de Toronto para o recolhimento de informações.

Por ser um evento em que muitos países do mundo participam, o Brasil espera 80 chefes de Estado durante os 17 dias de competição.

Durante a Copa do Mundo, em 2014, um centro de cooperação internacional foi criado em Brasília. Durante o evento, mais de 40 países cooperaram para a segurança contra terrorismo dos jogos de futebol.

Os jogos Olímpicos de 2016 terão a maior operação de segurança da história do Brasil contando com 85 mil trabalhadores diretos, o dobro do número de pessoas que trabalharam na Olimpíada de Londres, em 2012. A maior parte desse número de agentes já está em treinamento durante este ano. Muitos deles passarão por experiências de simulação durante os eventos teste que acontecem nos próximos meses.

De acordo com o Portal Terra, o Ministério da Justiça investiu R$ 350 milhões em segurança para os Jogos Olímpicos, sendo 100 milhões direcionados para a compra de equipamentos de proteção individual.

A ocupação de favelas não está nos planos para a segurança durante os jogos.

Crédito da foto: Divulgação



Jornalista formada na Escola Superior de Propaganda e Marketing que sempre gostou de falar muito. Adora observar a paixão que as pessoas desenvolvem pelos esportes durante os grandes eventos. Já praticou de tudo um pouco mas se apaixonou mesmo pela dança. Hoje, quer escrever sobre o assunto para matar um pouquinho das saudades.