Sampaoli: “Esses caras não são sérios. Não vou mais para o São Paulo”

Sampaoli
Getty Images

Juan Carlos Osório não era a primeira opção do São Paulo para comandar sua equipe. Em meio a muitas informações contraditórias e opções para treinadores que não combinavam nem um pouco a pouco de identificarmos qual perfil era procurado, a diretoria são-paulina fechou com o colombiano. Mas, o que poucos sabem é que o martelo para a contratação de Sampaoli, um dos nomes da época, já havia sido batido.

O site da ESPN Brasil publicou informações sobre a transação e os motivos pelo qual ela não se concretizou. As negociações teriam começado ainda no ano passado, em novembro, quando o São Paulo procurou o ex jogador com passagem no Corinthians e atualmente empresário Bernardo Silva, por ter contatos com a comissão técnica do Chile, onde argentino treinava.

Após algumas conversas, Sampaoli e o clube do Morumbi, selaram um acordo em março de 2015, após 5 reuniões, sendo a última delas em Londres onde o Chile iria enfrentar a seleção do Brasil naquela época para um amistoso.Tudo estava certo, salários, data para vinda, e até possíveis contratações indicadas pelo treinador. Sampaoli assumiria o São Paulo logo após a Copa América, porém pediu que fosse mantido sigilo absoluto.

Ataíde e Aidar acabaram por não darem conta de atender o pedido do treinador e, diante, de especulações da imprensa acabaram declarando em algumas oportunidades que o treinador do São Paulo sairia dos nomes Luxemburgo, Sabella Sampaoli e Abel Braga. Ao saber do vazamento das notícias, Sampaoli ficou extremamente irritado e declarou a pessoas que cuidam de sua carreira: “Esses caras não são sérios. Não podia vazar. Então eu não vou mais para o São Paulo”

Após saber da declaração de Sampaoli, Aidar foi atrás de Sabella, mas o também argentino, já sabia do ocorrido e que seu nome também havia sido citado, e também ignorou contatos da diretoria do São Paulo.

Aidar ainda conseguiu ter mais uma reunião com Sampaoli, gostou da conversa e dos planos do argentino para o futebol, mas ainda aborrecido, Sampaoli negou-se a fazer qualquer tipo e acordo com o Tricolor e alegou se sentir prejudicado com o Chile em vésperas de uma competição tão importante.