UFC imita a Fifa e lança cartilha de alerta aos turistas

Divulgação/Facebook

Assim como a Fifa fez às vésperas da Copa do Mundo no Brasil, o UFC decidiu bolar uma cartilha para os “principiantes” no País. O Ultimate, presidido por Dana White, aconselha os lutadores e convidados que desembarcaram no Rio de Janeiro a “evitar” algumas áreas da Cidade Maravilhosa.

Se a entidade máxima do futebol usou uma pitada de humor para apontar 10 conselhos importantes para evitar mal-entendidos no Brasil – bastou publicar o texto para ser bombardeada de críticas e, posteriormente, retirá-lo do ar –, o UFC foi mais direto.

LEIA MAIS: Ronda x Bethe: nocaute improvável no UFC 190
Ronda se compara a Mike Tyson e diz que está no auge da forma

O documento distribuído aos lutadores, ao qual o Combate.com teve acesso, é intitulado como: “Áreas para evitar”. Mesmo tratando-se do UFC Rio 7, O Ultimate alerta aos desavisados para não frequentar qualquer local que tenha a alcunha “favela”. A Lapa, bairro boêmio do Rio de Janeiro, conhecido pela atividade noturna, é citado no texto como um dos perigosos. De acordo com a publicação é alta a incidência de crimes e, portanto, deve ser evitado.

Os lutadores estão hospedados num hotel de luxo na Zona Sul do Rio de Janeiro, próximo à Favela do Vidigal. Entre as dicas do UFC estão: evitar contato com prostitutas, procurar locais seguros para sacar dinheiro e só deixar o hotel em veículos oficiais do evento ou táxis.

As dicas do UFC:
– Evitar qualquer área próxima ou na favela.
– O bairro de Santa Tereza, embora seja bem falado, é perigoso devido aos crimes na redondeza.
– O bairro da Lapa deve ser evitado à noite devido aos crimes e roubos na região.
– Não marcar encontros em hotéis ou clubes em qualquer outro lugar.
– Evitar contato com prostitutas.
– Ter cuidado na hora de pagar as contas para não ter prejuízo.

Crédito da foto: Reprodução/Facebook



Jornalista formado no UniCeub. Cobre esportes desde 2008: dos campeonatos amadores, evoluindo aos estaduais, chegando aos Nacionais até a Copa do Mundo de 2014. De 2010 a 2012 atuou como correspondente de esportes do Correio Braziliense, no Rio de Janeiro. Atualmente, editor do caderno Torcida, do Jornal de Brasília. Amante de um bom samba, futebol e cerveja.