“Valdívia usou o Palmeiras”, dispara ex-meia do alviverde

César Greco/Agência Palmeiras

Não é somente boa parte da torcida do Palmeiras que torce o nariz para as atitudes e postura de Valdívia com a camisa do clube. O ex-meia da equipe, Edu Marangon, soltou o verbo contra o chileno, durante participação no programa Boa Noite, Fox, nesta terça-feira (30).

LEIA MAIS:
Em debate no Torcedores.com, jornalistas explicam como é ser setorista de um clube
Pai de Valdívia explica saída do Palmeiras: “Cumpriu seu ciclo”

Segundo Edu Marangon, que fez sucesso no Verdão na década de 90, Valdívia fez do Palmeiras, no primeiro semestre, um local para se preparar para a Copa América e ameaçou o jogador, dizendo que queria ficar “apenas cinco minutos” frente a frente com ele, no vestiário, para tirar satisfação.

Queria cinco minutos eu e ele, mano a mano, no vestiário, como jogador e como técnico, também. Pô, vai embora logo, cara”, reclamou Edu Marangon. “Esse aí roubou, se preparou seis meses para jogar a Copa América no Palmeiras, cara”, afirmou, na sequência.

Para o Boy da Mooca, apelido do ex-jogador e hoje técnico, Valdívia não respeitou a instituição, conforme ele mesmo fez, quando a defendeu, e que isso é inadmissível. “Desculpa, eu vesti a camisa do Palmeiras e não admito alguém fazer o que ele fez. Ele usou o Palmeiras durante todo esse tempo aí. Sabe jogar? Sabe, mas na minha época eu também jogava”, esbravejou.

Atualmente defendendo a seleção do Chile na Copa América – onde disputará a final, no próximo sábado (4) -, Valdívia está próximo do fim de sua segunda passagem pelo Palmeiras, já que foi anunciado como novo reforço do Al-Wahda, dos Emirados Árabes Unidos.

No total, juntando as duas vezes em que defendeu o alviverde, o meia fez 241 partidas pelo clube. Apesar do número expressivo, o jogador não conseguiu reviver, nessa segunda experiência, um relacionamento tão bom com a torcida, como na primeira, já que desfalcou demais o time por lesões que, nem sempre, foram totalmente esclarecidas – e que raramente se repetiam quando ele servia a seleção de seu país.

Foto: Divulgação / S.E. Palmeiras



Tudo o que preciso é um papel e uma caneta. Apaixonado por esportes desde 1900 e bolinha: de futebol, basquete, tênis, rugby...