5 mata-matas mais marcantes entre Santos e Corinthians

Santos e Corinthians abrem o duelo pelas oitavas de final da Copa do Brasil nesta quarta-feira, às 22h, na Vila Belmiro. Para aquecer, relembre abaixo cinco mata-matas entre as equipes que entraram para a história.

Claro, vale lembrar que não está em ordem de importância. Independentemente do vencedor, os cinco duelos escolhidos foram marcantes por importância e por grandes jogos.

Brasileiro 2002 – SAN 2 x 0 COR / COR 2 x 3 SAN (final)
Na final do Campeonato Brasileiro de 2002, o Santos precisava acabar com uma fila de 18 anos sem títulos expressivos. O roteiro é de cinema, ao menos para os santistas: fim de tabu, pedaladas, virada, gol no último minuto, narrações históricas, vingança por 2001, consagração de uma geração que, até os dias de hoje, é tratada como heroica. O 3 a 2 no jogo de volta, no Morumbi lotado, faz santistas chorarem até hoje – claro, de alegria.

Libertadores 2012 – SAN 0 x 1 COR / COR 1 x 1 SAN (semifinal)
Neymar havia derrotado o Corinthians na final do Paulista de 2011 e conquistado a Libertadores do mesmo ano. Para o santista, o que viesse era lucro. Para o corintiano, não: era a chance de conquistar seu primeiro título continental contra um rival que dominava o cenário da América do Sul no momento. E  vitória com gol de Sheik na Vila mostrou que havia um time melhor ali – e que esse time estava preparado para ganhar, enfim, a Libertadores.

Brasileiro 1998 – SAN 2 x 1 COR / COR 2 x 0 SAN / COR 1 x 1 SAN (semifinal)
Ainda na fila (que, então, durava 14 anos), o Santos chegava para a semifinal com, talvez, seu melhor time desde o título paulista de 1984. Talvez melhor até do que o vice-campeão brasileiro de 1995. Quando Viola abriu o placar no terceiro jogo, o santista já vislumbrava a decisão. Até que Robson Luiz perdeu um gol feito, Edílson empatou, Vioal foi expulso e o Corinthians passou para ser campeão nacional em seguida.

Paulista 2011 – COR 0 x 0 SAN / SAN 2 x 1 COR (final)
O único título de Neymar em decisões contra o Corinthians, claro, teve seu gol como decisivo. Com a Vila lotada, ele tocou a bola fraco, mas Julio César aceitou já no final do segundo tempo da partida decisiva. Dias depois, a Libertadores também eria santista – foi uma prévisa da festa principal para a Geração Neymar do Santos.

Paulista 2009 – SAN 1 x 3 COR / COR 1 x 1 SAN (final)
Ronaldo. A cobertura para cima de Fábio Costa na Vila Belmiro resume o que aconteceu naquela final e por qual motivo ela é histórica e marcante.

 



Jornalista esportivo.