A importância do bom scout na NBA

O sistema utilizado para selecionar atletas para entrarem na NBA, o draft, permite que jogadores mostrem aos times seu potencial para avaliar se poderão ter algum impacto na liga.

No entanto, esse método permite que jogadores considerados piores sejam escolhidos antes que outros melhores, afetando assim todo o planejamento e as próximas temporadas de uma determinada franquia.

O scout, famoso “olheiro” em português, é o responsável por analisar os atletas, desde a faculdade até os training camp com outros atletas que já estão na liga. Contudo, esse trabalho não é dos mais fáceis, e encontrar um scout que tenha experiência e um julgamento apurado é o sonho de qualquer franquia que deseja ter sucesso durante esse período de “rebuilding” (reformulação).

O draft de 2003 exemplifica perfeitamente como a atuação correta desse profissional pode mudar a direção de uma franquia por anos.

Segunda escolha de 2003, Darko Milicic (foto), foi escolhido antes que muitos jogadores que se tornaram All-Stars após poucos anos. Com isso, o Detroit Pistons (time que draftou o atleta) deixou passar grandes estrelas como Carmelo Anthony, Chris Bosh e Dwyane Wade. Um bom scout, é quem diferencia um Darko Milicic entre Carmelo Anthony, Chris Bosh ou Dwyane Wade.

Essas foram as 5 primeiras escolhas do Draft de 2003. Com apenas uma simples análise fica claro como o Detroit Pistons utilizou sua segunda escolha muito mal.

1 – LeBron James – Cleveland Cavaliers

2 – Darko Milicic – Detroit Pistons

3 – Carmelo Anthony – Denver Nuggets

4 – Chris Bosh – Toronto Raptors

5 – Dwyane Wade – Miami Heat

Mesmo com Lebron James, melhor jogador do draft, já sendo escolhido, sobraram excelentes escolhas para o time de Michigan. Na época, a equipe contava com vários bons jogadores, porém procurava um “Big Man” para completar o time, e viu no jovem sérvio um opção com potencial.

Vários “especialistas” da época concordaram com a escolha de Darko, visto por muitos como um jogador físico, que dava tocos e conseguia arremessar tanto de média distância quanto dentro do garrafão, considerado por muitos como o próximo Dirk Nowitzki. Porém, ao o verem em ação em sua primeira temporada, perceberam que a tal promessa não era tudo aquilo. Foram 34 Jogos e 1.4 Pts 1.3 Reb 0.2 ast 0.4 tocos em 4.7 Minutos por jogo.

Um bom scout teria visto Carmelo Anthony, jogador extremamente talentoso ofensivamente, versátil, jogando na posição 3 ou 4. Ou ainda Chris Bosh, um verdadeiro Big Man, na posição 4 e 5.

Coincidência ou não, o Pistons foi campeão da Liga na temporada seguinte, com Darko jogando apenas 1.8 minutos por jogo. O que vale ser estudado é como o jogador não teve nenhum impacto positivo em seu time e não trouxe grandes números ou troféus individuais como Lebron James e Dwyane Wade.

Os times esperam um atleta que seja fiel à franquia e que traga playoffs e títulos, mas Darko não trouxe nada disso. E aí foi onde o scout falhou. Claro que a escolha de uma franquia no draft não é 100% do scout, mas também dos donos da franquia, contudo, sua opnião é levada em consideração.

Outras escolhas erradas

Darko Milicic não foi o único erro dos Scouts. Na NBA, histórias como essa acontecem anualmente. Abaixo, algumas primeiras escolhas que deram o que falar no Draft: teve MVP (tanto da temporada regular como das finais) sendo escolhido depois de atletas considerados comuns e, para fechar, uma polêmica!

2001: Kwame Brown (Washington Wizards) foi escolhido antes de Pau Gasol, Joe Johson, Tony Parker e Zach Randolph. Alguém ainda lembra dele?

2005: Andrew Bogut (Milwaukee Bucks) foi escolhido antes de Chris Paul, Deron Williams, David Lee. Bogut não pode ser considerado um atleta ruim, porém deixar passar Chris Paul foi um tremendo erro.

2006: Andrea Bargnani (Toronto Raptors) foi escolhido antes de LaMarcus Aldridge, Brandon Roy e Rajon Rondo. Bargnani, apesar de um sólido jogador, é muito fraco nos rebotes. Já Aldridge poderia ter trazido bem mais ao Raptors que o italiano.

2007: Greg Oden (Portland Trail Blazers), foi escolhido antes de Kevin Durant. Não preciso citar outros nomes pois KD fala por si. Na época, o Blazers tinha Brandon Roy em ótima forma para a posição, mas deixou passar um dos melhores jogadores ofensivos da NBA.

2013: Anthony Bennett (Cleveland Cavaliers) foi escolhido antes de Victor Oladipo e Michael Carter-Williams. Bennett, que em seu primeiro ano jogou pouco, se lesionou e foi trocado. Uma escolha fracassada do time de Ohio.

1984: Hakeem Olajuown (Houton Rockets) foi escolhido antes de Michael Jordan. Hakeem “The Dream” é considerado um dos maiores jogadores da história da NBA, duas vezes campeão da liga, MVP e 12 vezes All-Star. Cito apenas pelo debate. Na época Michael não era visto com todo o potencial que se viu com os anos, mas logo em sua primeira temporada teve números expressivos, para depois tornar-se a lenda que todos conhecem. Vale lembrar que qualquer jogador escolhido antes que Michael seria considerado um erro.

Portanto, no próximo draft, fique atento as escolhas de cada time e saiba que por trás dela existe muito estudo e um profissional que ganha a vida fazendo isso.

Crédito da foto: Getty Images



Portal esportivo criado por estudantes bauruenses, trazendo o melhor do esporte do interior, Brasil e do mundo! além dos textos publicados no torcedores, temos muito mais em nosso site, confira! Acesse: www.locomotivaesportiva.com.br