Acabaram as férias: O que esperar da Formula 1 a partir de Spa-Francorchamps

As férias da Formula 1 não representam descanso para ninguém e todas as equipes trabalharam muito nas três últimas semanas sedentas por resultados positivos na volta do campeonato. 

A atmosfera do GP da Bélgica já nos cerca e as últimas três semanas foram de muito trabalho para os engenheiros e todo o pessoal que contribui para o circo da Formula 1 andar. Férias mesmo só no papel, pois a necessidade de resultado de muitas equipes é primária, ao ponto de não ser possível coexistir num ambiente de descanso e trabalho.

Vamos começar do começo: As largadas não mais serão assistidas pelos engenheiros. Na prática significa que os pilotos não terão mais aquela ajudinha para regular o curso da embreagem, mudar a relação de potência ao acelerar e regular a resposta do torque ao toque do pedal de acelerador, o que significa que potencializar a possibilidade de realizar uma boa largada é um trabalho agora destinado inteiramente ao piloto.

Como tudo funciona na base da telemetria, os engenheiros tinham a possibilidade de medir, durante a volta de apresentação, coisas como a aderência da pista, temperatura de freios e demais dados necessários para a comunicação pré-largada entre pilotos e box, objetivando a melhor otimização possível das configurações do carro no momento da largada.

Tal medida, tomada com o direcionamento de tornar o trabalho do piloto um pouco mais complicado, foi criticada por um e ovacionada por outros. No frigir dos ovos, só as largadas dirão se a mudança será maléfica ou não.

O início da segunda metade da temporada também significa que o tempo está correndo, e rápido. Talvez mais rápido que alguns carros do grid, como a McLaren, por exemplo. Os engenheiros da Honda prometeram que a temporada da equipe inglesa começaria a partir de Spa, e todos estão impacientes. Alonso e Button não escondem o descontentamento com o maquinário que lhes foi dado, embora em tom esperançoso em relação aos objetivos que foram determinados para a temporada, os pilotos querem resultados e, aparentemente, no momento, querem terminar uma corrida sem a preocupação de que o carro irá quebrar.

A Sauber, por sua vez, espera que as melhorias com a nova unidade motriz da Ferrari cheguem mais rápido do que eles possam perceber e que auxilie a equipe a conseguir pontos importantes na busca por um melhor desenvolvimento financeiro, galgando um lugar melhor na tabela do campeonato.

Ferrari e Williams, por sua vez, esperam que seja possível um emparelhamento de desempenho com as Mercedes de Rosberg e Hamilton. A Ferrari trabalhou duro durante as férias liberadas – período quando as equipes podem manter seu pessoal trabalhando em desenvolvimentos para os carros sem ter de fechar as fábricas – para que Sebastian Vettel tenha condições de correr por fora na briga pelo título. Com a renovação de Räikkönen, o clima na equipe parece melhor e a tendência é que a Ferrari consiga desempenhar um bom papel no decorrer do resto do campeonato, já a Williams prospecta que Spa e Monza sejam suas duas melhores corridas na temporada, devido aos acertos aerodinâmicos de seus carros se tornarem favoráveis nestas duas pistas.

Há ainda os imbróglios de compra da Lotus pela Renault, fazendo a transação às avessas do que fora feito no fim de 2011. Com isso, a RBR tratou de mover suas peças no tabuleiro rapidamente e já se vê em conversas avançadas com Toto Wolff e Niki Lauda para serem suplementados por motores Mercedes já a partir de 2016. Mas como nada sofreu o crivo da caneta até o presente momento, não passam de puras especulações.

Os momentos decisivos a qual tanto falamos durante todo o início da temporada finalmente nos rodeiam e já não há mais para onde correr. Ou melhor, há sim: Para o sofá mais próximo, acompanhar o desfecho dessa temporada que vem sendo surpreendentemente espetacular. Com altos e baixos, claro, mas aos poucos revivendo todo o garbo e glamour que criou o folclore do circo da Formula 1.

Imagem: Divulgação/Twitter Valteri Bottas



Fanático por hockey e automobilismo, escrevo sobre ambos.