Bolt vence Gatlin e é tricampeão mundial nos 100m

Com a marca de 9s79, Usain Bolt manteve o seu reinado ao vencer a final dos 100 metros no Mundial de Atletismo em Pequim. O jamaicano superou o até então favorito para a prova, Justin Gatlin, por um centésimo de segundo. Bolt agora é tricampeão mundial.

A final dos 100m no Mundial de Atletismo em Pequim foi a prova mais aguardada do dia e quem sabe do ano no atletismo. Todos estavam ansiosos para ver o duelo entre o Usain Bolt e Justin Gatlin, que anteriormente nas semifinais, protagonizaram momentos distintos – o jamaicano escorreu na largada e quase perdeu sua bateria, enquanto o americano havia cravado um incontestável 9s77.

Com ambos protagonistas na final, esperava-se uma quebra de recorde mundial. O recorde não veio mas com uma largada melhor, Bolt fez uma corrida perfeita; fazendo sua melhor marca no ano e superando Gatlin por um centésimo de segundo.

Ao cruzarem a linha de chegada, o americano não escondeu a frustração ao ver no placar: Bolt 9s79 / Gatlin 9s80. Ao contrário, Bolt era só sorrisos fazendo a sua tradicional pose de “raio”. Com a vitória, o jamaicano tornou-se tricampeão mundial nos 100m.

O feito de Bolt também é considerado um alívio para a Federação Internacional de Atletismo (IAAF) que vem sendo criticada com relação a sua conduta diante dos escândalos de doping no esporte. Bolt tem 29 anos e ficha limpa, por outro lado, Gatlin aos 33 anos já foi suspenso duas vezes por doping.

Abaixo o resultado oficial dos 100m:

1) Usain Bolt (JAM) – 9.79

2) Justin Gatlin (USA) – 9.80

3) Trayvon Bromell (USA) – 9.92

3) Andre De Grasse (CAN) – 9.92

5) Mike Rodgers (USA) – 9.94

6) Tyson Gay (USA) – 10.00

7) Asafa Powell (JAM) – 10.00

8) Jimmy Vicaut (FRA) – 10.00

9) Bingtian Su (CHN) – 10.06

 

Foto: IAAF/Divulgação



Luis Henrique Rolim usa do sarcasmo e da linguagem popular para comer as pizzas do esporte. Futebol, surfe e Jogos Olímpicos são seus sabores favoritos. Ama os gordurosos assuntos extra-campo, e por isso tem colesterol acima da média. Debate ideias, não pessoas.