Cinco erros da derrota para o Goiás que o São Paulo precisa rever contra o Ceará

Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

São Paulo estreia na Copa do Brasil nesta quinta (20) contra o Ceará no Morumbi, em partida válida pelas oitavas de final do torneio. O jogo de volta é na próxima semana, em Fortaleza. Veja algumas lições que os jogadores do tricolor devem aprender para retomar o caminho das vitórias:

LEIA MAIS:
São Paulo x Ceará: saiba o que está em jogo
Wilder mostra animação em provável estreia com a camisa do São Paulo: “Estou preparado”
Osorio sobre São Paulo x Ceará: “Temos de dar uma boa resposta para a torcida”
Sete fatos de um ano de Michel Bastos no São Paulo
Times nordestinos sofrem com São Paulo na Copa do Brasil

1) A escalação do zagueiro Lucão improvisado no meio-campo rendeu muitas críticas, inclusive porque um dos setores mais criticados foi justamente a defesa. O desempenho do jogador no miolo de zaga atraiu o técnico da seleção brasileira Dunga, que o convocou para amistoso do time sub-23 em setembro.

2) O técnico Juan Carlos Osorio escalou um time cujo objetivo era manter a compactação, com a famosa “defesa alta”, ou seja, adiantando o posicionamento dos zagueiros. No entanto, os jogadores não se adaptaram à nova estrutura e permitiram o contra-ataque mortal do Goiás, com o atacante Erik infernizando a defesa são-paulina. A revelação do Brasileiro de 2014 marcou duas vezes na vitória esmeraldina.

3) O meio de campo é considerado o cérebro da equipe e a criação das jogadas passa pelo setor, responsável tanto por proteger a retaguarda quanto por acionar o ataque. Um dos principais armadores da equipe, Ganso ficou no banco de reservas e a movimentação do trio formado por Lucão-Wesley-Michel Bastos esbarrou na postura do time comandado por Julinho Camargo.

4) Cerca de 25 mil torcedores compareceram ao Morumbi. No entanto, o que era para ser uma motivação extra se transformou em pesadelo, visto que o desempenho da equipe dentro de campo revoltou os são-paulinos. O técnico Juan Carlos Osorio ouviu gritos de “burro”.

5) O São Paulo precisa melhorar o aproveitamento nas finalizações. Contra o Goiás, foram 40% – cinco tentativas, sendo apenas duas certas. Já o adversário conseguiu 13, com oito acertos e um total de 61%. Os números comprovam a diferença no placar.