CRU 0 x 0 INT: 5 pontos para o cruzeirense lembrar

É complicado aceitar, mas o cruzeirense já se acostumou à ideia de que o meio de tabela é o objetivo do time no Campeonato Brasileiro. Assim, matematicamente, o empate em 0 a 0 com o Internacional, no último domingo, no Mineirão, não é das piores coisas que podem acontecer ao time. O que, portanto, aproveitar deste jogo no segundo turno?

Desarmes: Com três volantes novamente (sim, Cabral é volante, portanto o time passou todo o jogo nesta formação), foram 25 desarmes. Foi o ponto forte do Cruzeiro na atuação.

Lado esquerdo: com Alisson mais pela esquerda, 54% dos ataques foram por este lado. A direita, mesmo com a troca de Marinho por Marquinhos, não funcionou novamente. Mena, inclusive, foi o jogador com mais posse no jogo: 7%.

Defesa: o Cruzeiro sofreu apenas um chute no gol o jogo todo, e bem no final. Foi segura, com Manoel como destaque.

Luxemburgo: a postura de Luxemburgo após o jogo foi correta: ele declarou que o time e torcedor têm que aceitar que este ano é de reformulação. Assim, tira a pressão dos jogadores pelos resultados tão diferentes dos últimos dois anos.

Posse de bola: o time voltou, depois da péssima partida contra o Joinville, a acertar o controle da bola: 374 passes certos, de acordo com o Footstats (80% de acerto), com maior posse de bola – 53%.

Foto: Fred Magno/Light Press/Divulgação Cruzeiro



Jornalista esportivo.