Dorival encurrala Tite na Vila com “tridente aperfeiçoado” do Santos

Crédito da foto: Divulgação/Santos FC

O treino fechado do Santos na véspera do clássico em nada surpreendeu, pelo menos no papel, na confirmação dos 11 titulares para o confronto. Na prática, o técnico Dorival Júnior aprimorou ainda mais a movimentação do “tridente santista” formado por Geuvânio, Gabriel e Lucas Lima, base sólida para a vitória convincente por 2 a 0 nesta quarta-feira, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

Se até o trabalho de Marcelo Fernandes o trio tinha posicionamento fixo, Geuvânio aberto pela direita, Gabriel pela esquerda e Lucas Lima centralizado, com Ricardo Oliveira isolado à frente, agora tudo mudou.

Com Dorival, desde a partida contra o Vasco, os jogadores marcam pressão no campo adversário e tem confundido os adversários com as constantes trocas de posições.

Na jogada do primeiro gol, Lucas Lima, aberto pela direita, posição original de Geuvânio, encontrou Gabriel, na ponta oposta, com um lançamento perfeito. Curiosamente, Gabigol citou justamente como inspiração a movimentação de Lionel Messi e Neymar no Barcelona, que compõem com ao lado do uruguaio Luis Suárez o tridente mais famoso do mundo, responsável por marcar 122 gols na última temporada.

“Eu falo pra ele assistir aos jogos do Barcelona, pois o Messi sempre faz assim com o Neymar, e deu certo hoje. O Lucas Lima foi muito bem, é jogador de seleção brasileira, o melhor do Brasil”, disse Gabigol.

Geuvânio iniciou a partida aberto pela esquerda, posição que originalmente era ocupada por Gabriel Barbosa. A nova fase dos três jogadores contrasta com a de Ricardo Oliveira, que passou em branco pelo terceiro jogo consecutivo e protagonizou novas grandes chances desperdiçadas.

Gabriel, por sua vez, virou o artilheiro da era Dorival, com seis gols marcados, enquanto Lucas Lima apresenta a sua melhor fase após a queda admitida durante o ápice das negociações com o Porto, de Portugal.

“Conheço o Lucas desde a Inter de Limeira. Foi um pedido meu para o Internacional, o acompanho há um bom tempo. Sei o quanto é importante da intermediária para dentro, vindo de trás ele chega para ser decisivo. Ele está vendo o quanto mudam as suas condições quando o jogo está dessa maneira. Já o coloquei quase como segundo volante e produziu, porque sabe vir de trás, tem um toque de qualidade”, explicou o treinador.

Dorival colhe os frutos da boa fase de seu trio ofensivo. Com 100% de aproveitamento em seis jogos na Vila Belmiro e apenas uma derrota em nove partidas desde o retorno, consolida um novo momento na carreira, quase que inédito desde a polêmica saída do clube, em 2010.

Crédito da foto: Divulgação/Santos FC



Redação do Torcedores.com