Elano se despede do Santos triste e admite passagem apagada

pré-contrato
Crédito da foto: Ricardo Saibun/Santos FC

O meio-campista Elano encerrou nesta terça-feira a sua terceira passagem pelo Santos. Fora da lista dos 23 jogadores relacionados para o clássico contra o Corinthians devido a uma mialgia na panturrilha direita, o veterano embarca na quinta para a Índia, onde atuará por três meses emprestado ao Chennaiyin, time treinado pelo ex-zagueiro italiano Marco Materazzi.

O camisa 22 santista confessou tristeza por deixar o clube em meio a duas competições em andamento, alegando ter firmado o acordo antes do início da nova passagem pela Vila Belmiro, e admitiu rendimento abaixo do esperado.

“Quero deixar claro que essa situação está acertada desde o ano passado [com o clube indiano]. Não estou deixando o Santos por causa de uma situação que surgiu há três meses, surgiu antes de saber se voltaria para o Santos. Estou triste. É momento importante, mas tranquilo porque o clube está em boas mãos. O Dorival tem feito grande trabalho, o Santos está em grande caminho”, disse o veterano.

Elano renovou no início de junho o contrato de risco assinado com o clube em janeiro, com ganhos de R$ 50 mil mensais e apenas cinco meses de duração. O novo vínculo do jogador vai até 31 de maio de 2016 e conta com uma espécie de “caridade” do clube, que não dificultou para que Elano fizesse um contrato melhor durante três meses mesmo em meio à disputa do Campeonato Brasileiro.

Dos quatro jogadores da geração 2003 que atuaram, Elano foi o único que não emplacou nesta temporada. Participou de 24 dos 44 jogos da equipe, mas poucos como titular, quase todas liderando equipes com escalações alternativas.

“Não foi tão boa [essa passagem] no campo como todas as outras. Sou consciente, jogava direto antes, mas agora peguei um time montado, com grandes jogadores. Estou feliz pelo que fiz fora dos gramados, procurei fazer tudo o que era necessário”, explicou.

Nos bastidores, ao lado de Robinho e do zagueiro David Braz, Elano foi o principal líder do elenco no primeiro semestre, responsável por negociar o pagamento de salários atrasados e instruir a safra de jovens jogadores. Antes desta passagem, o meia já havia atuado pelo clube de 2000 a 2005 e de 2010 a 2011, marcada por uma polêmica saída, com troca de farpas com a diretoria encabeçada pelo então presidente Luis Álvaro Ribeiro.

Crédito da foto: Ricardo Saibun/SFC



Redação do Torcedores.com