Ex-Palmeiras, volante França nega que as festas tenham o afastado do Verdão

França, ex-volante do Palmeiras
Crédito da foto: Divulgação/Palmeiras

O volante França teve uma passagem curta e sem muito brilho pelo Palmeiras em 2014. Vindo do Hannover (ALE), ele foi uma aposta do clube que acabou não vingando. Com sucessivas lesões e polêmicas extra-campo, o jogador, no segundo semestre do ano passado, deixou o Alviverde e se transferiu ao Figueirense. Sobre a trajetória no Verdão, ele, ao site UOL Esporte, nega que o álcool e as festas tenham o afastado dos treinos no CT da Barra Funda.

LEIA MAIS
Figueirense anuncia Renê Simões como novo técnico
Palmeiras x Cruzeiro: saiba tudo sobre o confronto
Velloso conta ao MasterChef Brasil que feijoada já fez Palmeiras perder jogo

“Alguém falou para a imprensa de São Paulo e isso acabou se espalhando. Disseram que eu estava fazendo festa para mais de 40 pessoas, só que não foi o que aconteceu”, relata o atleta, que se defendeu e contou o que aconteceu. “Eu estava com a minha filha também, estava comemorando com a minha família, tanto é que eu falei com o meu empresário Marcelo Lipatin. Comuniquei a ele que ia fazer o meu aniversário, que eu tinha direito, fazia tempo que eu não via a minha filha, eu tinha acabado de chegar da Alemanha”, justifica.

E afirma, jamais chegou alcoolizado em um treino do Palmeiras. “E eu nunca cheguei bêbado, não. Eu sei das minhas responsabilidades e chegava cedo para treinar”, explicou França, que era um dos jogadores preferidos da torcida palmeirense, mas que depois dos episódios que culminaram em seu afastamento, passou a ser criticado e saiu pela porta dos fundos da equipe paulista, até ser contratado pelo Figueirense, onde está há mais de um ano.

E no Alvinegro catarinense também se envolveu em confusão, onde teria sido até contido por balas de borracha por um policial militar em Florianópolis em uma casa noturna. “Isso foi um mal-entendido. O vídeo está aí para todo mundo ver. Eu estava com a minha namorada, de folga, a gente tinha ganhado o clássico contra a Chapecoense, estávamos num pagode e a torcida rival veio me provocar. Paguei a conta, fui embora do local, os ânimos se exaltaram e acabou acontecendo a discussão”, esclareceu.

Crédito da foto: Divulgação/SE Palmeiras



Jornalista desde 2012, com passagens pelos jornais ABCD Maior e Diário do Grande ABC, além do canal NET Cidade. Foi repórter colaborador e hoje é líder da comunidade de colaboradores juniores, plenos e seniores no site Torcedores.com.