Jogadora de futebol feminino pode ser condenada à pena de morte na China

Foto: Reprodução/Facebook

Juliana López, jogadora de futebol feminino pelo Divas del Fútbol de Medelín, foi presa na China com cocaína e pode ser condenada a pena de morte ou prisão perpétua por isso. A moça, que também é modelo, estava na companhia de seu noivo quando foi detida e havia ido ao país asiático para comprar produtos e revender na Colômbia.

LEIA MAIS
Brasil tem seis jogadoras na seleção das melhores do futebol no Pan

Essas informações são do Jornal Mundo Deportivo, que destaca o fato de o Consulado Colombiano garantir que ainda não há nenhuma condenação a moça. Ela apenas está detida, mas o temor de que a rígida legislação chinesa contra o tráfico de drogas acabe por ser aplicada é muito grande.

Não obstante, a realidade López na Colômbia é também idêntica a de muitas jogadoras de futebol no restante do mundo: dupla jornada. Sem querer entrar no mérito nos motivos que a levaram até a China, Juliana López também tinha que trabalhar como modelo, pois o futebol feminino, por si só, não era capaz de lhe garantir o sustento diário.

Tanto no Brasil, quanto no restante do mundo, a modalidade ainda se mostra em estágio amador, contrastando e muito com o que se vê no futebol masculino, onde bilhões de dólares e euros são usados para dar vida de verdadeiros reis a muitos jogadores. Ainda que historicamente o processo de ambas as modalidades seja diferente, o fato é que nos dias atuais essa desigualdade parece não diminuir.

No Brasil, com a exceção de as competições disputadas pela seleção brasileira, quando se fala sobre futebol feminino? É preciso repensar essa situação, pois, ou o futebol passa a ser visto de maneira única, isto é, sem grandes diferença entre futebol feminino ou masculino, ou as mulheres terão que encontrar outro caminho para serem reconhecidas. Não se pode é permitir duplas jornadas ou até mesmo tripla, se levarmos em consideração a vida familiar de muitas delas.

Foto: Reprodução/Facebook