Lateral do Flamengo provoca Vasco e vascaíno responde: “Pressão é toda deles”

Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

Em entrevista coletiva, o lateral-esquerdo Jorge tratou de “apimentar” ainda mais o clássico entre Flamengo x Vasco, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. O jovem lateral diz que quer a revanche da derrota no primeiro turno do Campeonato Brasileiro, principalmente pelo deboche sofrido nas redes sociais.

LEIA MAIS:
Flamengo questiona escalação de bandeiras da FERJ em jogo contra o Vasco
Torcedores do Flamengo criam paródia para zoar o Vasco; assista
Jonás Gutiérrez é oferecido e pode ser reforço do Vasco

“Flamengo e Vasco é guerra, muita rivalidade. A gente sempre está conversando e sabe como o Vasco se comporta quando ganha da gente. Eles vêm debochando, brincando em rede social. O Flamengo não precisa ficar falando gracinha em rede social, a gente responde em campo. Vamos entrar bem mais mordidos e sempre estamos tendo que ouvir besteira do time deles. É entrar como se fosse uma guerra de verdade”, afirmou Jorge.

O atacante Nenê, do Vasco, disse achar que a pressão de vencer é do Flamengo. “Será um jogo muito importante e especial. Pressão toda para eles, que estão em melhor situação. Precisamos ter cabeça, é um jogo de 180 minutos. Nosso pensamento é de entrar para ganhar. Vamos com tudo para buscar o resultado, já que esse confronto pode mudar muito a cara do Vasco. Não tem a ver com o Brasileiro, mas acarreta. Se ganharmos, dará uma moral muito grande, mostrando a grupo e torcida que estamos vivos, que confiamos na virada.”

Vasco e Flamengo vivem momentos totalmente opostos no Campeonato Brasileiro. Enquanto o Rubro-Negro fechou o primeiro turno na 13ª colocação, com 23 pontos, o Cruzmaltino acumulou uma série de derrotas, amargando a lanterna da competição.

Nesta quarta, as duas equipes escrevem mais um capítulo desse clássico, agora pela Copa do Brasil. O duelo será válido pelas oitavas de final da competição e ocorre no Maracanã, às 22h.



Súdita do Pelé e da Marta. Acredito na ética jornalística e no diálogo como primeiro passo para a reflexão e ação. Apaixonada pelo futebol feminino.