Magnano se mostra inconformado com as dispensas de Larry e Hettsheimeir da seleção

Hettsheimeir e Larry Taylor pedem dispensa da seleção e do Pré-Olímpico - Foto: Reprodução

A seleção brasileira de basquete já está garantida nos Jogos Olímpicos, no próximo ano. Por isso, não é mais imprescindível o Brasil ganhar a Copa América (Pré-Olímpico), que começa dia 31 de agosto. Mas, o torneio não deixa de ser importante, pois será o último grande evento-teste antes do Rio 2016. Foi por isso que o técnico Rúben Magnano estranhou os pedidos de dispensa de Larry Taylor e Rafael Hettsheimeir da seleção.

LEIA MAIS
Nova Zelândia tenta intimidar Austrália com “haka”, mas perde no basquete
Jogador 4 vezes campeão da NBA confirma presença em evento em Brasília
 

Os jogadores têm claro que não vou mexer com questões de sentimento pessoal, e sim pensar em uma boa equipe para o Brasil. Mas é evidente que um atleta que vai embora desse jeito deixa um buraco, um espaço. E se vem outro jogador com capacidade, seguramente há risco de perder a vaga na equipe. É uma questão lógica, natural e é tratada assim”, disse Magnano à Gazeta Esportiva.

Para o técnico da seleção masculina, as justificativas dos jogadores para não disputar os desafios de basquete e a Copa América foram estranhas e geraram dúvidas à ele. Afinal, tanto Rafael quanto Larry já disputaram grandes torneios pelo Brasil, como o Mundial da Espanha e o Pan-Americano de Toronto.

O armador norte-americano naturalizado brasileiro pediu para não disputar o Pré-Olímpico devido a uma lesão na mão. Segundo entrevista dada a Gazeta Esportiva, Magnano disse que o médico da Confederação Brasileira de Basquete (CBB) avaliou o caso e recomendou apenas alguns dias de repouso ao jogador. O que poderia ter sido feito, sem ter a dispensa.

O médico falou de quatro a cinco dias de repouso e recuperação, o que tranquilamente poderíamos ter dado. Mas ele preferiu ir embora para se recuperar em Mogi. Tenho minhas dúvidas. Realmente tenho muitas dúvidas dessa situação”, disse o técnico à Gazeta Esportiva.

Em entrevista para o site Uol, Larry afirmou que seu atual clube o pressionou para pedir dispensa: “Voltei do Pan com a mão machucada e o clube pediu para eu me tratar lá. Fiquei triste, pois era uma coisa que não queria ter feito. É um direito do clube. Por mim eu teria continuado lá (na seleção). Mas acabou se criando esta situação. Conversei com o Magnano e com a comissão técnica e disse que queriam que eu voltasse para Mogi“, disse o jogador, que já está recuperado e deve jogar nesta quinta-feira no Campeonato Paulista de Basquete.

Enquanto o pivô Rafael, pediu dispensa por motivos pessoais. Segundo Magnano, o jogador afirmou que iria fazer um teste para atuar na NBA, mas não falou quando seria. “Com o Rafael, ainda estou esperando uma resposta, uma ligação, sobre a situação. Ele disse que faria um teste na NBA, mas ainda não deu respostas porque perguntei ‘quando é essa prova? Onde é essa prova?’ para tentar coordenar a possibilidade de ele voltar e jogar a Copa América. Ainda não respondeu, então tivemos que chamar outro jogador”, declarou.

A resposta para a saída de Hettsheimeir pode ter vindo alguns dias depois de sua dispensa, quando seu time Bauru anunciou a participação da pré-temporada da NBA. Além disso, o clube também disputará o título da Copa Intercontinental contra o Real Madrid, em São Paulo, em setembro.

Com essas dispensas, o Brasil disputa a Copa América com alguns desfalques. Além de Larry e Rafael, a seleção não contará com os jogadores que jogam na NBA. Nenhum foi convocado para o torneio. Apesar disso, a equipe tem grandes chances de fazer um bom campeonato já que os destaques do Pan-Americano Vítor Benite e Rafael Luz estarão em quadra.

Foto: Reprodução



Jornalista pós-graduada em jornalismo esportivo e apaixonada pelo basquete desde os 11 anos de idade, independente do campeonato e da nacionalidade.