Nadadora bronze no Pan revela que cirurgia pode ter atrapalhado seu desempenho no Mundial

Nadadora bronze no Pan revela que cirurgia pode ter atrapalhado seu desempenho no mundial de Kazan - Foto: Facebook da nadadora Daynara de Paula

Conquistar uma medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos, um ouro no Gran Prix de Santa Clara e classificar a seleção feminina de natação para o revezamento nas Olimpíadas não é tarefa fácil. Mas, a nadadora Daynara de Paula, que treina pelo Sesi, conseguiu e ainda com um dedo do pé inflamado.

LEIA MAIS
Bonito, tatuado e de ouro! Conheça o nadador Talisson Glock

Nesta sexta-feira (14), a atleta revelou, depois de muito tempo, que teve um pequeno empecilho no período de preparação para o Pan até o fim do Mundial de natação em Kazan (Rússia), nesse início de agosto. “Ela competiu com o dedo inflamado, que com um tempo foi ficando feio, tanto que apareceu uma bola no dedo. Ela teve que fazer uma cirurgia e ficou oito dias afastada dos treinos. Nem sabíamos se ela ia conseguir competir de novo nesse período”, falou o técnico da seleção feminina de natação Fernando Vanzella.

A inflamação acabou a tirando da abertura do Pan-Americano, podendo também tê-la atrapalhado em algumas provas como o 100 metros borboleta no Mundial. “Eu já estou um mês sem usar tênis. É muito triste. Mas, eu não queria falar disso antes para não dizerem que é só por causa disso que não consegui nadar melhor. Eu tive vários altos e baixos”, declarou Daynara, de 26 anos e que já acumula 23 medalhas em competições internacionais.

Mas, segundo Vanzella a atleta soube superar os desafios: “Existe todo um desgaste para proteger o pé antes de um treino e uma competição. E ela conseguiu se recuperar bem. Os resultados foram muito positivos, apesar de ela esperar um resultado melhor no 100 metros de borboleta. Mas, foi peça chave no revezamento que deu a classificação para as Olimpíadas”.

Alguns dias depois de sua volta de Kazan, Daynara terá outro desafio: o Troféu José Finkel, nesta segunda-feira (17), em São Paulo. E depois ela terá as merecidas férias. “Vou ter o Finkel agora e terei a oportunidade de nadar mais uma vez. O meu pé está realmente precisando de férias. E depois disso vou voltar muito mais dispostas e pelo menos o meu pé estará zerado”, finalizou a atleta.

Foto: Reprodução



Jornalista pós-graduada em jornalismo esportivo e apaixonada pelo basquete desde os 11 anos de idade, independente do campeonato e da nacionalidade.