Opinião: o que esperar do Palmeiras no 2º turno do Brasileirão?

Cesar Greco / Palmeiras / Divulgacao

Boas vitórias, derrotas inacreditáveis, 31 pontos e a 5ª colocação no campeonato, dois pontos a menos que o Fluminense, primeiro time dentro do G4. Esse é o resumo do Palmeiras nas primeiras 19 rodadas do Brasileirão 2015. Mas o que será que podemos esperar do Verdão no 2º turno? Título? Libertadores? Meio da tabela?

LEIA MAIS
10 coisas que os torcedores rivais invejam no Palmeiras, mas não assumem
No Palmeiras, DM confirma lesão de Arouca
Luxemburgo é derrubado por Dudu e tem suspeita de fratura; veja!

A expectativa no início do ano era grande, amigos. Dinheiro em caixa, diretor de futebol competente, mais de 20 reforços, estádio novo, torcida mais ativa do que nunca e o time jogando bem.

O Palmeiras quase conquistou o Paulistão e entrou forte na disputa do Brasileirão, mas pecou ao empatar em casa com os reservas do Atlético-MG e também registrar um 0-0 sem sal com o Joinville em Santa Catarina, fortíssimo candidato ao rebaixamento.

Houve também aquele empate com um Internacional misto focado na Libertadores, novamente no Allianz Parque, além das fatídicas derrotas para o Goiás e Atlético-PR, outra vez dentro de casa. Até mesmo a derrota para o Coritiba, na 18ª rodada, pode ser contabilizada como uma “derrapada”, por um time que busca coisas grandes.

Mas aí o turno acabou e o Palmeiras enxerga o Corinthians lá em cima, no topo da tabela, com 40 pontos. Será que dá pra buscar esses nove pontos de diferença e ainda sonhar com o título.

Dá.

Matematicamente falando é possível. Mas futebolisticamente dizendo, acho muito pouco provável. O segundo turno do Brasileirão costuma não ser fácil, uma vez que os times que brigam pelo topo normalmente não vacilam mais, enquanto os que estão lá embaixo entregam até a alma para fugir do rebaixamento.

O Palmeiras tem um bom time, bons reservas, mas ainda é uma equipe em formação. Sem o volante Gabriel, o time já perdeu um pouco suas características defensivas. Não que o atleta seja o novo Pelé, longe disso, mas a falta dele em campo exige que o Verdão jogue diferente, coisa que – por enquanto – não consegue fazer. Seus substitutos imediatos, Amaral e Andrei Girotto, pouco agradaram o técnico Marcelo Oliveira até o momento.

Em suma, a briga pelo título não contará com a presença do Palmeiras. Espero estar enganado, claro, mas entendo que o caneco vai figurar na sala de troféus de Itaquera ou na Cidade do Galo. São, hoje, equipes mais completas, mais entrosadas, mais passíveis de mudanças táticas no decorrer das partidas.

Ao Palmeiras, no entanto, restará uma vaga na Libertadores da América do próximo ano, competição que o Verdão não disputa desde 2013, após ter sido campeão da Copa do Brasil do ano anterior. É pouco? Para a grandeza do Palmeiras, sim, mas para o momento do time, não. Com certeza não.

Arrisco um palpite dizendo que o time alviverde chegará entre terceiro e quarto colocado do Brasileirão, com cerca de 62 ou 63 pontos.

Com uma vaga para a Libertadores da América garantida em 2016, o Palmeiras começará o próximo ano muito forte, com ainda mais reforços, com mais dinheiro, mais patrocinadores, a torcida ainda mais empolgada por conta da competição sulamericana e, com certeza, com uma equipe mais preparada, muito mais pronta.

A chance do Palmeiras ser campeão em 2016 de um Brasileirão ou até mesmo da Libertadores é muito grande. Como costumam dizer atualmente na gíria das redes sociais, podem “printar”.

Foto: César Greco / Palmeiras / Divulgação