São Paulo traça plano para compra de Alexandre Pato

Crédito: Getty Images

Não é de hoje que a diretoria do São Paulo manifesta interesse em contar com o atacante em definitivo no clube. Porém, o presidente Carlos Miguel Aidar já deu declarações que é impossível realizar este negócio hoje. Mas não para o final do ano.

LEIA MAIS
Presidente do Corinthians reafirma desejo de vender Pato: “Continuo torcendo”
Osorio sobre São Paulo x Ceará: “Temos de dar uma boa resposta para a torcida”
São Paulo x Ceará: saiba o que está em jogo
Erros de arbitragem: São Paulo foi campeão em 2012 após o árbitro encerrar a partida no intervalo

O presidente Tricolor montou um plano para tirar o jogador em definitivo do Corinthians depois do término de seu empréstimo. Segundo o jornalista Jorge Nicola, em conversa com um diretor muito importante do clube que não quis se identificar, diz que a chance aumenta muito para o final do ano.

“Só que a gente vai depender muito da vontade do Pato em ficar aqui”, emendou o dirigente.

O dinheiro que seria usado é do mesmo investidor que ajudaria na compra do zagueiro Dória (cerca de R$ 21,3 milhões de reais), que passaria para a compra de Pato ao clube de Parque São Jorge.

Porém, a diretoria corintiana bate o pé e pede R$ 38,8 milhões, preço considerado muito alto até mesmo para os padrões europeus, afugentando até investida de clubes no negócio. O Corinthians detém 60% do passe, enquanto os outros 40% é do artilheiro são-paulino, mas que seriam pagos em luvas durante o contrato vigente.

Caso o São Paulo e Corinthians acenem um acordo, seria a vez de Alexandre Pato topar o negócio, e isso mexeria no seu bolso. Hoje, o jogador recebe R$ 800 mil mensais, metade paga pelos corintianos e outra pelos são-paulinos.

Alexandre Pato voltou a ser centro das atenções depois de atuar de forma regular e convincente com a camisa do São Paulo, o que despertou o interesse do Corinthians em vendê-lo ao mercado exterior. Com a melhor média de gols da carreira (19 em 36 jogos este ano), o atacante promete agitar o mercado da bola futuramente.

Com informações retiradas do Blog do Jorge Nicola

Crédito da Foto: Getty Images