Sete fatos de um ano de Michel Bastos no São Paulo

Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

O meia Michel Bastos completa um ano de sua esstreia pelo São Paulo nesta quinta-feira (20). Na mesma data, em 2014, ele substituiu PH Ganso, autor do gol da vitória por 1 x 0 contra o Internacional, no Beira-Rio, pelo Campeonato Brasileiro. Nesse período, o camisa 7 disputou 64 jogos, anotou 12 gols e contribuiu com 16 assistências. Veja sete momentos da passagem do atleta de 32 anos no primeiro ano de Tricolor.

Hoje à noite, ele comemora a marca na disputa das oitavas de final da Copa do Brasil, contra o Ceará, no Morumbi, em duelo marcado para as 21h30.

LEIA MAIS: São Paulo é o terror dos clubes nordestinos na Copa do Brasil


Expulsões e desconfiança

Michel Bastos foi anunciado como um “craque internacional” pelo vice-presidente de futebol, Ataíde Gil Guerreiro. Quando os torcedores tomaram conhecimento de quem o dirigente estava falando, começaram a reclamar na web. Dentro de campo, as expulsões contra Figueirense e Flamengo pelo Campeonato Brasileiro – num espaço de partidas – gerou desconfiança.

Substituto de Kaká

Quando chegou ao clube, Michel Bastos atuou como lateral-esquerdo, posição assumida no Mundial de 2010, na África do Sul, mas abandonada em sua longa carreira na Europa. Com a saída de Kaká, ele aproveitou o espaço no meio de campo e começou a se firmar com gols e assistências.

Dengue prejudica na Libertadores

O jogador contraiu dengue perdendo, inclusive, o jogo de ida das oitavas de final da Taça Libertadores de 2015 contra o Cruzeiro, quando o São Paulo venceu por 1 x 0. No Mineirão, o time caiu nos pênaltis após perder por 1 x 0 no tempo normal.

Renovação: “Quero fazer história aqui”

Após longa negociação, o meia de 32 anos acertou a permanência até 2017 e definiu: “Quero fazer história aqui”

Queixa sobre salários atrasados

Em junho de 2015, prestes a completar quatro meses com vencimentos a receber, o camisa 7 expôs a situação. “A gente escuta certas coisas na imprensa e acaba criando certa esperança de receber. Não acho que ninguém está agindo de má fé. O Ataíde (Gil Guerreiro, vice de futebol) conversou conosco, mas somos trabalhadores e queremos receber”

Moral com Osorio apesar de chilique

Na partida contra o Fluminense, no Morumbi, pelo Brasileiro, Michel Bastos protagonizou um chilique ao ser substituído e saiu de campo xingando. A indisciplina não manchou sua moral com o técnico Juan Carlos Osorio, que o mantém na equipe titular embora as oscilações no rendimento.

Carro chutado pela torcida

Após a derrota para o Goiás, por 3 x 0, em pleno Morumbi, o meia teve seu carro chutado por “torcedores” na saída do Morumbi. Na saída de campo, antes do incidente, ele pediu apoio do torcedor. “Fizemos uma má partida, isso é claro, mas não podemos jogar a toalha. Teve jogos onde a torcida viu um bom futebol da nossa equipe. Acabou o primeiro turno, não pode apelar e jogar a toalha, tem que levantar a cabeça, temos responsabilidade pelo que aconteceu.”

Ficha Técnica
Nome completo: Michel Fernandes Bastos
Data de nascimento: 2 de agosto de 1983 (32 anos)
Local de nascimento: Pelotas (RS), Brasil
Nacionalidade: brasileiro
Altura: 1,79 m
Pé: Canhoto
Número: 7
Clubes: Pelotas-RS, Feyenoord-HOL, Excelsior-HOL, Atlético-PR, Grêmio, Figueirense, Lille-FRA, Lyon-FRA, Schalke 04-ALE, Al Ain-EAU, Roma-ITA e São Paulo-SP



Jornalista graduado pelo UniCEUB, em 2010. Trabalha com esportes desde 2010 e atualmente sub-editor do caderno Torcida, do Jornal de Brasília. Passou também pela redação do Jornal Metro. Cobriu jogos do Brasileiro (Séries A a D), Copa do Mundo-2014 e Campeonato Candango, além de eventos como o Novo Basquete Brasil e a Liga Futsal.