40 motivos para ver a NFL em 2015: #24 Os melhores novatos

A temporada 2015 da NFL já está para começar. E em todos os anos, um dos motivos mais legais para ver o futebol americano é saber o que farão os jovens atletas que chegam à liga. Para o próximo campeonato, a geração de novatos é bastante promissora. São running backs, quarterbacks, running backs com potencial para se tornarem estrelas.

Confira alguns nomes que podem brilhar no futuro

AMARI COOPER: Se tornar uma estrela na liga. E de imediato. Esse deve ser o pensamento que Amari Cooper tem em mente para fazer sua primeira temporada na NFL. O novato wide receiver do Oakland Raiders tem os atributos para não sentir a pressão da passagem da universidade para os profissionais.

Quarto novato selecionado no recrutamento deste ano, Cooper tem como principais qualidades a mudança de direção em alta velocidade e a capacidade de se desmarcar. Além disso, o jogador tem bom tamanho e peso para a posição, além da capacidade atlética para agarrar a bola mesmo em passes longe do corpo.

Dentro de um time com um elenco reduzido de recebedores e um ataque que não foi bem nos últimos anos, Cooper chega à NFL para ser o principal wide receiver do time californiano. O jogador vem de uma temporada de 124 recepções e 1.727 jardas em Alabama.

Se Cooper atender às expectativas, a marca de mil jardas recebidas é um bom número para sua temporada de estreia. Além disso, o jogador já entra no campeonato como um dos candidatos mais fortes ao prêmio de melhor novato de 2015.

MELVIN GORDON: Com os times apostando cada vez mais em jogos de passes, os running backs tem ficado de lado quando o assunto é o recrutamento das universidades. Uma prova disso é que apenas um dos últimos sete prêmios de melhor novato foi para um corredor. Mas para 2015, Melvin Gordon é um dos nomes para se observar de perto.

O running back do San Diego Chargers foi selecionado na décima quinta posição do Draft. Gordon chega à NFL após um ano de 29 touchdowns e 2.587 jardas pela faculdade de Wisconsin. Isto posto, ele é um dos atletas novatos com capacidade para ser muito produtivo em sua temporada de estreia.

Com boa combinação de tamanho e peso, Gordon chega ao Chargers para ser o principal RB. Ele é rápido e forte. Tais atributos o ajudam a deixar defensores pelo caminho em suas arrancadas.

Ao contrário do que acontece com a maioria dos running backs, Gordon não tem sofrido com lesões. A boa linha ofensiva do time de San Diego é um fator que pode colaborar para a boa produção do jovem corredor.
MARCUS MARIOTA: Mariota é um dos candidatos ao prêmio de melhor novato da temporada 2015. No entanto, o jovem jogador do Tennessee Titans já tem sua própria disputa para o seu campeonato de estreia: a briga para ver quem será o quarterback estreante mais eficiente.

Mariota divide as atenções com Jameis Winston, do Tampa Bay Buccaneers. O novato do Titans chega amparado pelo prêmio Heisman Trophy conquistado em 2014.

Para seu primeiro ano na NFL, Mariota precisará mostrar boa parte das habilidades que demonstrou ter na universidade. O jogador que veio de Oregon, tem capacidade para decidir as jogadas com as pernas, além de ser um quarterback produz menos interceptações do que Winston.

O real progresso de Mariota na NFL só poderá ser medido após o começo da temporada regular, quando ele tiver de lidar com os jogos entre profissionais. Até lá, o que fica são as notícias de seu bom desempenho nos treinos.

JAMEIS WINSTON: Número um no Draft. Essa é uma pressão que Jameis Winston terá de lidar pela vida inteira. O jogador do Tampa Bay Buccaneers foi o primeiro no último recrutamento das universidades e é tido na Flórida como o jogador capaz de mudar os rumos de sua nova equipe.

Vencedor do Heisman Trophy em 2013, Winston viu Mariota ser melhor em 2014. Mesmo assim, o ex-jogador de Florida Sate chega à NFL com mais moral do que seu companheiro de posição. Para muitos, o quarterback do Bucs está mais pronto para assumir um time na NFL do que o atleta do Titans.

Com Mike Evans ao seu lado, Winston tem boas possibilidades para fazer o ataque do Buccaneers funcionar. Para isso, o jovem quarterback precisará melhorar suas tomadas de decisão: foram 18 interceptações no seu último ano na faculdade.

Winston erra por que é agressivo. Se conseguir diminuir seus erros e aumentar o número de vitória do Bucs, o quarterback é um forte candidato ao prêmio de novato da temporada.



Profissional formado em Jornalismo, com pós-graduação em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte. Experiência em web-jornalismo e hard news. Bom desenvolvimento de pautas, notas, especiais e grandes reportagens para impressos. Amplo conhecimento do mundo esportivo e de diversas modalidades.