Marcelo Oliveira admite “sabor de derrota” após desatenção do Palmeiras no clássico

O técnico Marcelo Oliveira não gostou nada do empate do Palmeiras no clássico com o Corinthians, nesse domingo, no Allianz Parque. O Alviverde esteve à frente do placar por três vezes, e mesmo assim sofreu o empate diante do líder do Campeonato Brasileiro. O treinador elogiou a qualidade do rival, porém analisou que o resultado foi construído muito mais pelas falhas de sua equipe do que mérito do Timão.

LEIA TAMBÉM:
Zé Roberto cobra autocrítica do grupo para acabar com “erros bobos” no Palmeiras

Palmeiras e Corinthians fazem dérbi empolgante que termina empatado
Terceiro amarelo: Gabriel Jesus, Dudu, Robinho e Lucas estão fora contra o Inter
Foi pênalti? Entrada dura de Cássio em Gabriel Jesus gera polêmica

Por isso a sensação após o apito final só poderia ser de decepção. “Se analisarmos que o Corinthians vem muito bem, e não está em primeiro por acaso, até que você aceita (o empate). Mas se você pensar que o Palmeiras esteve na frente três vezes e tomou dois gols de bola parada, afeta um pouco”, começou Marcelo.

“Nós treinamos muito isso (bola parada), falamos muito e pecamos nesse quesito. Quando o jogo estava 3 a 2 tivemos oportunidade muito clara com o Zé Roberto. O Corinthians tem todos os méritos de estar em primeiro lugar, mas se aproveitou de erros do adversário. Um empate que para mim tem sensação de derrota”, completou o treinador alviverde.

Zé Roberto, o mais experiente da equipe, reclamou de gols bobos que o Palmeiras vem tomando nas últimas partidas. Marcelo crê que está havendo muita desatenção do sistema defensivo, e pior: contra jogadores de menor estatura dentro da área. Tanto Leandro Almeida quanto Vitor Hugo são maiores que Vágner Love, que marcou o último gol corintiano.

“Acho que não existe gol bobo. Existe o gol de desatenção. O primeiro gol, foi uma desatenção que saiu um jogador de fora. Houve a desatenção. No fim do jogo achei que não foi falta, mas gerou uma falta. O time do Corinthians estava com uma média de altura maior do que a nossa e nós levamos o gol de jogadores baixos. Foram falhas nossas, e eu me incluo também”, lamentou o treinador.

Curtiu a matéria? Siga o autor no Twitter: @fontes_matheus.
Facebook: Matheus Martins Fontes.

Foto: César Greco/Ag. Palmeiras



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.