Opinião: A polêmica temporada de 2008 da Fórmula 1

O campeonato de Fórmula 1 de 2008 foi, sem dúvidas, um dos mais disputados de toda a história da categoria. O título só foi decidido por 1 ponto, na última curva, da última volta, da última prova da temporada…

Lembro-me que no GP do Brasil, as últimas voltas foram de extrema tensão. Quando Vettel ultrapassou Hamilton, Massa era campeão e assim o foi até que o inglês ultrapassou Glock, que lutava, na chuva, com os pneus de pista seca. Eu pulei do sofá, me dando conta de que ali, Lewis sagrava-se. Nem a família de Hamilton tinha percebido ainda e Massa ainda achava que era o campeão. Foi uma sensação de cortar o coração porque o brasileiro tinha feito um excelente campeonato e, na minha nada humilde opinião, merecia o título.

LEIA MAIS:
Equipe Haas terá um piloto reserva da Ferrari em 2016

A temporada foi a última da equipe Super Aguri (saudades) e a primeira da Force India (ao menos com este nome). Foi disputada desde a primeira prova, tendo Lewis Hamilton vencido 5 corridas e Felipe Massa, 6. Foi também nesta temporada, o primeiro GP noturno disputado, em Cingapura. Neste GP, Massa passou por um dos momentos mais bizarros da Fórmula 1: na liderança, fez o pit stop e, após receber a luz verde, saiu, porém, a mangueira de combustível permaneceu presa em seu carro. Tal acontecimento, fez com que o brasileiro caísse para o último lugar. Ainda neste GP-cheio-de-emoções ocorreu o escândalo conhecido como “Singapore-gate” ou, simplesmente, “Crashgate”, onde Nelsinho Piquet, por ordem de Flavio Briatore e Pat Symonds, bateu deliberadamente em uma área para que o safety car entrasse e, desta forma, beneficiasse seu companheiro de equipe, Fernando Alonso, que acabou vencendo a corrida.

Além deste memorável GP, tivemos também o GP da Itália, em Monza, onde Sebastian Vettel mostrou ao mundo que é um piloto diferenciado e acima da média. Desde o qualifying foi superior e mostrou na corrida que, mesmo em uma Toro Rosso, poderia ser brilhante – e foi.

Sobre o título: sim, verdade seja dita, Felipe cometeu erros na temporada, o que é amplamente comum para pilotos da categoria, inclusive pilotos que venceram campeonatos. Os erros da Ferrari para com ele, porém, superaram a esfera do comum na ocasião da mangueira de combustível presa ao carro. Somente o erro em Singapura, custou-lhe 10 pontos, tendo perdido todos eles e Hamilton conseguido 6, fica difícil não atribuir ao menos parte da culpa pela perda do campeonato à equipe, considerando que o mesmo foi decidido por 1 único ponto. E ter tal opinião não implica dizer que Hamilton não seja merecedor do título. Fez tudo como deveria e venceu, simples assim. Limpo e merecido para ele e para a equipe. Entretanto, para mim e para muitos, Felipe foi o campeão moral, principalmente depois da bela corrida em Interlagos. Infelizmente, tal título moral não vale nada, mas me lembra que Massa tem a categoria de um campeão mundial.

Por ter tido duas corridas históricas, performances brilhantes e um final de campeonato, acirrado, emocionante e dramático, considero a temporada de 2008 uma das melhores, não só da atualidade como de todos os tempos.

Imagem: Getty Images



Autora do blog sobre automobilismo Racing Journal: https://racingjournal.wordpress.com/