Opinião: arbitragem se tornou um mal no futebol brasileiro

vilões
Getty Images

Erros, erros e mais erros que erros. O termo “arbitragem” se tornou um mal em todos os aspectos no futebol brasileiro. Entra rodada, sai rodada, e os jogos são esquecidos.

Estamos vivendo uma das melhores temporadas do Brasileirão nos pontos corridos, pelo menos, com bons jogos, estádios mais cheios e expectativa do torcedor a cada jogo. Este ano, estão fracas as manifestações de “volta mata-mata”, pois os times estão tratando de melhorar o padrão técnico dos jogos e a torcida de apoiar.

Mas tudo acaba quando aparecer a tal “arbitragem”. E quando isso acontece, o clima desaba. Os bons jogos se tornam horríveis, a torcida briga entre si, o estádio se transforma em um poço de xingamentos, os jogadores se desconcertam, os dirigentes sentem seus clubes perseguidos, e o “campeonato acaba”… E todos os problemas do futebol brasileiro voltam a ser discutidos em um flash.

Não, gente, o campeonato não acabou, e não vai acabar até a 38ª rodada. O grande problema é que a arbitragem tomou o controle dos jogos, são os “donos” das partidas, começaram a ameaçar e a cobrarem… Tudo bem, e os erros sucessivos de arbitragem?

TODAS as rodadas tem pelo menos o tal do “lance polêmico” sendo discutido nos bares e nos programas de televisão. O nível é tão fraco que chega a esse ponto. E quando erros prejudicam o vice-líder e favorecem o líder do campeonato? Ainda mais se este for o Corinthians, um dos times mais influentes do país?

Até que provem o contrário, não há “complô” para determinar o campeão nas “teorias” criadas por muitos durante os últimos dias. O problema é que os árbitros dão força a essas “teorias do nada” ao cometerem sucessivos erros decisivos, vide a última quarta-feira, onde Ponte Preta, Palmeiras, Atlético-MG e Fluminense reclamaram.

A crítica vai sim para a fraqueza da arbitragem que têm de ser melhorada. Mas a crítica maior vai nas “discussões de arbitragem”, principalmente na televisão. Poxa, estamos tendo bons jogos, um campeonato bem legal, padrões táticos definidos, novos técnicos, revelações e muitos gols. E tudo isso precisa ser jogado para “segundo plano” por causa da arbitragem, a ponto de uma emissora colocar um árbitro para participar do debate? Sinceramente, devem estar felizes com a repercussão em cima deles. Mas o torcedor, nem um pouco…

 

Crédito da foto: Getty Images



Vocação jornalística e esportiva desde a infância. Colaborador desde 2015 com matérias/artigos, principalmente nas coberturas do automobilismo, futebol americano e esportes eletrônicos.