Opinião: Suzuka, assim como o motor Honda, deixou muito a desejar

O GP do Japão não teve chuva desta vez. Mas foi em Suzuka, palco dos três títulos de Ayrton Senna, que Lewis Hamilton alcançou a marca de 41 vitórias.

Rosberg largou na liderança, mas não conseguiu mantê-la e, após uma espalhada de Hamilton, saiu da pista e acabou perdendo várias posições. Ainda conseguiu recuperar algumas e chegar em segundo, mas não conseguiu ameaçar a liderança do piloto inglês e isso fez com que uma corrida que dava expectativas ao campeonato, acabasse sendo extremamente previsível – e chata. Apesar de Nico ter dito recentemente que o que importava para ele era o título, que segunda ou terceira posição no campeonato dariam no mesmo, parece que ele não tem mais o ânimo pra buscar algo além de um vice, o que é uma pena. É um bom piloto e já disputou um campeonato de perto com o próprio Lewis, mas está nos confirmando aquela teoria de que o psicológico faz toda a diferença. Não acho que seja melhor que Hamilton, mas acho que poderia ser um adversário melhor, caso demonstrasse uma maior resolução na pista.

LEIA MAIS:
Entenda como funciona a distribuição do dinheiro na Fórmula 1

A briga vai ficar mesmo por conta do segundo lugar do campeonato e Vettel está com a faca nos dentes. Inclusive, na coletiva pós-corrida, Vettel fez uma brincadeira (infeliz) com Rosberg e o clima ficou muito chato. Não acho que Sebastian tenha tido a intenção de desmerecer Nico, apenas de dar uma cutucada na Mercedes, mas acabou dando a impressão errada. Enfim, desnecessário.

A Ferrari, aliás, tem dado um show em suas paradas. Foram as melhores da corrida e é notável a evolução. Parece que alguém andou treinando! Ainda falando de Ferrari, Kimi Raikkonen, que fez uma boa corrida, chegou na posição que era esperada dele, mas não tem dado nenhum show e está muito atrás de seu companheiro. Será que no ano que vem – caso permaneça – o finlandês será um mero escudeiro?

Felipe Massa, com seu já conhecido azar, teve problemas na largada, tocou em Ricciardo e teve que ir para os boxes, ficando uma volta atrás. Não conseguiu se recuperar e era melhor ter abandonado mesmo. Quanto a Ricciardo, também teve sua corrida arruinada e não conseguiu mais que um 15º lugar.

Mas quem não está decepcionando é Max Verstappen: largou em 18º e chegou em 9º. Pontuou, fez bonitas (e muitas) ultrapassagens e deu alguma graça à corrida. Ainda não consigo entender como tem gente que não gosta do garoto – conforme disse um comentarista famoso, ele foi a melhor coisa que aconteceu à Fórmula 1 este ano – e eu assino embaixo. Ele tem só 17 anos e já faz tudo isso…Imaginem com um pouco mais de experiência.

E teve Alonso reclamando. É compreensível que o espanhol esteja irritado e descontente com a performance da McLaren-Honda, mas soltar um “GP2 engine” logo no GP do Japão foi uma atitude completamente descabida. O cara aguenta o ano inteiro pra fazer isso logo no Japão? Alonso-falo-o-que-quero-das-Astúrias poderia ter esperado, pelo menos, mais uma corrida pra soltar a língua.

Pra finalizar, uma salva de palmas a Felipe Nasr que fez uma belíssima ultrapassagem pra cima de Button, que aliás, deve permanecer mais um ano na categoria – e na McLaren mesmo, provavelmente. Fico contente por ele ter lugar ainda, pois merece mesmo uma despedida mais digna da categoria onde foi campeão mundial. Esperemos que em 2016 a McLaren-Honda não esteja este fiasco.

 

Imagem: Divulgação/Mercedes 

 



Autora do blog sobre automobilismo Racing Journal: https://racingjournal.wordpress.com/