Hortência faz revelação sobre sexo nas Vilas Olímpicas: “Rola Muito”

Reproducao/Tv

A multimedalhista Hortência participou do quadro “O que vi da vida”, do Fantástico no domingo (4), a rainha do basquete falou sobre vitórias, sexo e até mesmo TPM. O que ela viu da vida? Que é preciso acreditar sempre. 

Leia mais: Hortência diz que basquete feminino pode não ter torneios a um ano do Rio 2016

Às vésperas das Olimpíadas do Rio em 2016, Hortência faz revelações sobre a Vila Olímpica, “Quero deixar bem claro que quando fui para as duas vila olímpicas eu estava ca-sa-da,(risos), ainda bem. Mas rola muito.O atleta tá ali preso, trancafiado, só treinando muito, jogando. E tem de tudo ali dentro, você olha assim: gosta de olho azul? Cabelo laranja? Tem! Olho verde? Tem! Tudo o que você imagina tem ali dentro, tem para todos os gostos. Então é difícil segurar. Muita gente não segura, se você não estiver muito focado, a Vila Olímpica é a perdição de um atleta.

Além desta, Hortência se revelou como uma namoradeira nata, mas com horário: ‘ Apesar de eu não ter muito tempo, eu namorava muito. Eu gosto de namorar muito até hoje. eu gosto de ter um homem ao meu lado pra chamar de seu , sabe? risos. Pode ter certeza que a gente sempre dá um jeitinho (risos). Gente, carregar bateria faz um bem danado, a gente se sente bem né. Feliz. Você vai para a quadra, nossa. o que não pode é ser de madrugada, porque você tem que dormir, mas faz durante o dia, não tem problema nenhum’.

Mas, o ponto alto de sua entrevista é quando Hortência conta bastante sobre algo que muitas pessoas pensam. Sobre como é ser um super atleta, dedicar-se ao esporte, a sua paixão, mas ainda sim ser mulher, sofrer com TPM, ser mãe, entre outros assuntos.

A rainha revela, que a famigerada, Tensão Pré-Mestrual (TPM), aquelas que os homens tanto têm medo, na verdade para ela, era um estímulo dentro das quadras, ” De 12 mulheres, quatro sempre estavam menstruada. Então é duro lidar com isso, porque a TPM é uma coisa super difícil. eu por exemplo, quando entro em quadra, meu técnico já sabe quando estou de TPM ou não, porque eu me desfiro, mas isso era bom dentro de quadra, porque eu queria morder a jugular da minha adversária, isso era bom pra mim. Era como cutucar onça com vara curta”.

Um dos seus momentos mais difíceis de sua vida enquanto atleta, foi depois de ser mãe, “O mais difícil para mim foi disputar uma olimpíada, logo depois de ter tido um filho. Tive o João Vitor e cinco meses depois estava disputando a final de uma Olimpíada. Foi muito difícil para mim, foi muito dolorido, doeu muito para eu entrar em forma, mas, eu gostei. Eu gosto de sentir dor. O atleta tem que sentir dor, eu sinto essa dor até hoje e eu gosto de sentir essa dor hoje,porque me faz lembrar do que eu fui.”, conta ela.

No único momento da entrevista em que ela se emociona, foi lembrando de seu passado e de sua família, ” Quando eu comecei a ganhar dinheiro, a primeira coisa que eu quis fazer foi tirar o meu pai do trabalho. Ele estava muito doente e trabalhar para nos ajudar. Então, uma das coisas com o que eu sonhava, não era comprar carro, casa, comprar roupa. Nada disso era importante. o importante era tirar o meu pai do trabalho. ele tinha problema no coração e eu consegui me sentir realizada quando tirei ele do trabalho. Isso foi a coisa mais importante para mim”.

O segredo de um atleta, Hortência revela: “Eu nunca amarelei, mas medo eu já senti muito. A diferença é que o atleta vencedor, gosta de sentir medo(….)O que eu vi da vida, é que preciso acreditar sempre”, finalizou Hortência, a rainha do basquete.

Assista ao vídeo da entrevista na íntegra: http://migre.me/rINly

Imagem: Reprodução/TV



Formada em jornalismo pelo Mackenzie, demorei anos para perceber que dá, sim, para ir atrás dos sonhos e trabalhar com o que se gosta: o esporte. Hoje me divido entre o esporte e a política. Nunca vou me conformar com os que dizem: "É só futebol.."