Cinco centroavantes que passaram pelo Grêmio e o torcedor nem percebeu

Crédito da foto: Arquivo/Grêmio.

Em sua história recente, o Grêmio coleciona alguns equívocos na escolha dos seus centroavantes. Desconhecidos ou famosos, brasileiros ou gringos, muitos vieram com status de artilheiro e deixaram Porto Alegre sem um gol sequer. Atualmente, o uruguaio Braian Rodríguez sente na pele a maldição dos centroavantes gremistas e amarga a reserva depois de repetidas tentativas infrutíferas de fazer gol. O que poderia lhe servir de alento é que ele não é o primeiro.

MAIS GRÊMIO:

Depois de polêmica, Erazo usa Instagram para reforçar seu desejo de ficar no Grêmio

Arena do Grêmio será o primeiro estádio do Brasil a vender ingressos por autoatendimento

Loco Abreu (1998) – Exatamente. O folclórico centroavante uruguaio Washington Sebástian Abreu, mais conhecido como Loco Abreu, o Rei das Cavadinhas, passou por Porto Alegre em 1998. Mais tarde, pelos idos de 2010, afirmou que gostaria de ter jogado mais tempo no Grêmio. De fato, sua passagem pelo estádio Olímpico não deixou saudades a ninguém. Em apenas 7 jogos, todos pelo Brasileirão daquele ano, Abreu fez apenas um gol. Em sua curta passagem pelo tricolor, ainda conseguiu a façanha de machucar o pé treinando cobrança de pênalti.

Somália (2005) – Em um dos anos mais difíceis de sua história, que exigiria um recomeço na Série B, o Grêmio depositou no centroavante Somália (foto) a esperança de gols e dias melhores. Em troca, recebeu dores de cabeça, más atuações e vida noturna agitada. As más línguas já garantiam que o jogador estava levando o então jovem Anderson para o mau caminho. Foi dispensado ainda em maio tendo feito não mais que uma meia dúzia de gols.

Richard Morales (2008) – Jamais alguém vai conseguir explicar como o Grêmio conseguiu brigar pelo título brasileiro de 2008 com um ataque formado por Perea, Reinaldo, Marcel, Soares e Richard Morales. O uruguaio, de 1,96m, foi outro que pouco jogou e não deixou saudades no tricolor. Fez apenas um gol, no duelo contra o Santos vencido por 2×0 no Olímpico. Logo no ano seguinte, acabou dispensado após as contratações de Herrera e Máxi López.

Luizão (2002) – Luizão jogou em tantos clubes durante a sua carreira que se perguntarem para ele em que ano jogou no Grêmio, é bem capaz que não saiba responder. Até porque sua passagem pelo tricolor além de curta foi inexpressiva. Em ano de Copa do Mundo, o centroavante admitiu um tempo depois que usou o clube gaúcho para estar no Mundial. Sem time desde que havia saído do Corinthians, ele entendia que precisava estar atuando para ir à Coreia e Japão. No Grêmio, jogou seis partidas e fez um mísero gol. Mas o objetivo de estar na Copa foi atingido.

Adão (2000) – Depois de ser o artilheiro do Caxias de Tite, campeão gaúcho de 2000, o centroavante Adão despertou interesse de outras equipes e estava perto de assinar com o Bahia quando o Grêmio agiu rápido e garantiu o jogador. Logo no primeiro treino no Olímpico, Adão meteu cinco gols no coletivo e virou a esperança gremista para a sequência da temporada. Porém, em campo e valendo três pontos, o Adão sumiu. Não repetiu o desempenho dos treinamentos e logo perdeu a titularidade. Em seguida, foi emprestado para o Figueirense.

Crédito da foto: Arquivo/Grêmio.



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.