Empresário revela clubes brasileiros que já toparam jogar a Champions League das Américas

Foto: Reprodução/Facebook

O empresário Riccardo Silva concedeu entrevista ao “blog do Rodrigo Mattos” e comentou sobre a criação da Champions League das Américas e também revela as equipes que já toparam jogar a competição. O fundador da liga também explica o modelo do torneio seria parecido com a Liga dos Campeões da Europa.

LEIA MAIS:
Saiba quem são os empresários que convidaram os clubes para Champions League das Américas

“Nós trabalhamos com os clubes e para os clubes: os clubes pediram que nós desevolvêssemos a Liga das Américas e nós estamos fazendo. Todos os principais clubes da América do Norte e da América do Sul querem a Liga de Campeões das Américas e já se comprometeram em jogar o torneio quado ele acontecer, e em relação ao Brasil isso inclui Flamengo, Corinthians, São Paulo e muitos outros” diz.

Outros clubes que foram convidados foi o Cruzeiro, Palmeiras e Vasco da Gama que também iniciaram as conversas para participar da competição. As tratativas estão avançadas e devem participar do torneio.

A cota inicial para os clubes que já toparam gira em torno de U$ 5 milhões, mesmo que jogue apenas duas partidas da competição. Em caso da conquista do título da Champions League das Américas, o valor gira em torno de U$ 30 milhões.

Riccardo também revela os detalhes do novo formato e a duração do torneio e o total de clubes, que será disputado na Champions League das Américas. O empresário também revela que a final seria realizada em uma sede única, igual é realizado na Liga do Campeões da Europa.

“A Liga dos Campeões das Américas (ACL) vai ser uma competição anual entre os melhores times de futebol da América do Sul, da América Central, da América do Norte e do Caribe. Há uma oportunidade de as Américas criarem uma estrutura equivalente à Liga dos Campeões da Europa, e não há motivo para não fazer. Os atuais torneios de futebol das Américas são menores em termos de geografia, escala e clubes participantes comparado com outros continetes. O formato proposto inclui 64 times, jogando em mata-mata (eliminação direta) composto por jogos em casa e fora até a final, que seria um evento global jogado em uma sede única, como a Liga dos Campeões da Europa”, diz

Riccardo também revela que a Copa Libertadores da América vai seguir normalmente, mesmo com a criação da Champions League das Américas.O empresário garante que não há motivos para o torneio desaparecer, além de enaltecer que muitos clubes vão jogar apenas duas partidas.

“Nós trabalhamos com a presunção e o desejo de que a Taça Libertadores vai continuar. É uma competição muito tradicional na América do Sul e não há motivo para desaparecer. Nós sabemos que o calendário do futebol na América do Sul é muito ocupado, mas nós estamos estudado com cuidado o calendário para propor datas para os jogos da Liga dos Campeões da Américas sem conflito com a Libertadores e com nenhuma outra competição. Vamos lembrar que a ACL é baseada na eliminação direta, metade dos clubes vão jogar apenas dois jogos, e 75% dos clubes vão jogar dois ou quatro jogos: isso é fácil de realizar em nove meses de duração que vão de fevereiro a novembro. E mesmo os times avançando até a final vão jogar um total de 10 jogos, o que não é algo impossível. Será um novo conceito: menos jogos, mas todos importantes e com audiência global”, completou Riccardo Silva.

Foto: Divulgação



Radialista, Jornalista com passagens como correspondente pelo site italiano CalcioNews24.com e pelo Arena Rubro-Negra. Atualmente setorista do Fluminense e Futebol Sul-Americano no Torcedores.com