Grêmio tem em Danrlei o seu maior vencedor de títulos

Danrlei1O Grêmio já teve ídolos e goleiros, mas apenas dois uniram estas palavras de forma indelével na história do clube. Lara, que aparece no hino do clube e Danrlei, que é o jogador com mais títulos conquistados no Tricolor gaúcho.

Falaremos sobre Danrlei de Deus Hinterholz, que nasceu em Crissiumal em 18 de abril de 1973 e começou a defender o Grêmio em 1987, levado por seu tio, Roberto Hinterholz, o Beto. Aos poucos ele foi ganhando maiores chances no clube e esteve no time vice-campeão da Copa São Paulo de Juniores de 1991, perdendo na final para a Portuguesa de Dener.

Em 1993, ele estreou no time profissional, ganhando chance com o técnico Luiz Felipe Scolari e claro que Danrlei não decepcionou. Foi campeão gaúcho em 1993, 1995, 1996, 1999 e 2001. Só que ele não se destacou apenas nas conquistas locais. Ele ajudou o Tricolor dos Pampas a ser temido no Brasil e no exterior. O camisa 1 conquistou a Copa do Brasil de 1994, que credenciou o time a disputar a Libertadores de 1995, da qual o time foi campeão. Em 1996, o Brasileirão que não ia para o Estádio Olímpico desde 1981, em uma vitória dramática em casa, por 2 a 0 sobre a Portuguesa, na decisão. No mesmo ano, ele conquistou a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Atlanta.

Em 1997, ele conquistou a Copa do Brasil, fazendo do Grêmio a conquistar os dois títulos mais importantes do futebol brasileiro, a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro. Ele ainda defendeu a meta gremista na última conquista relevante do clube, a Copa do Brasil de 2001, em que o Grêmio bateu o Corinthians no Morumbi.

Em 2003 sua história como jogador gremista chegou ao fim e ele foi para o Fluminense, onde fez apenas quatro jogos, indo em seguida para o Atlético (MG). No meio da temporada de 2006 foi para Portugal, onde atuou no Beira-Mar e em 2007 regressou a Porto Alegre, onde atuou no São José. Ele ainda defendeu o Remo (PA) e o Brasil de Pelotas, em que foi uma das vítimas do acidente rodoviário, que matou três integrantes da delegação Xavante, que voltava de um jogo.

Em 2010 disputou e venceu as eleições para o cargo de deputado federal pelo estado do Rio Grande do Sul, elegendo-se pelo PTB e depois passando para o PSD, onde cumpre seu segundo mandato.