Lesionado, Armero pode não jogar mais em 2015 e futuro no Flamengo é incerto

A situação de Pablo Armero no Flamengo não é nada boa. Contratado para ser titular na lateral-esquerda, após ótimas passagens por Milan e Udinese, o colombiano viu o jovem Jorge se destacar em seu primeiro ano no time profissional e acabou perdendo espaço. Para completar, vem amargando seguidos problemas físicos e, segundo reportagem do GloboEsporte.com, corre sérios riscos de não jogar mais pelo clube carioca em 2015.

LEIA TAMBÉM:
Noiva de Guerrero é cornetada ao confundir canto da torcida Flamengo com a do Corinthians
Brasileirão 2013: Flamengo perde em capítulo final do “Caso André Santos”
Reservas têm levado vantagem sobre Guerrero no Flamengo; veja números
Guerrero se apresenta ao Peru e desfalca Flamengo contra Figueirense
Kayke diz que pode atuar com Guerrero no ataque do Flamengo

O lateral está fora do jogo contra o Figueirense, no próximo dia 14, pelo Campeonato Brasileiro, pois ainda não se recuperou de uma ruptura do músculo adutor da coxa direita sofrida no clássico contra o Fluminense há um mês. E olha que certamente Armero teria uma chance em Florianópolis, já que Jorge cumprirá suspensão pelo terceiro cartão amarelo. A contusão do colombiano, todavia, não é tão simples assim para ser tratada.

Márcio Tannure, chefe do departamento médico do Fla, explicou que o problema de Armero é considerado “lesão de grau 3 (o tipo mais grave) e que prevê três meses de recuperação, podendo variar dependendo da evolução ou não do jogador”. Se o colombiano mantiver a projeção média esperada pelo médico do clube, dificilmente conseguirá jogar mais na temporada, uma vez que o Brasileirão termina no dia 6 de dezembro.

Em seis meses no Flamengo, Armero jogou apenas cinco partidas. Seu contrato de empréstimo com o time da Gávea se encerra no final de 2015, e o empresário Luciano Ramalho afirmou que é “muito cedo para tratar do assunto”. A diretoria do Urubu não comenta sobre o planejamento para a próxima temporada, porém a falta de uma sequência maior de jogos pode ser empecilho para os dirigentes se empolgarem em tê-lo por mais um ano.

Curtiu a matéria? Siga o autor no Twitter: @fontes_matheus.
Facebook: Matheus Martins Fontes.

Foto da capa: Gilvan de Souza/Flamengo



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.