Opinião: Goleadas históricas do Palmeiras – Quem paga a conta é o torcedor

Twitter oficial

Sem dúvidas a derrota para a Chapecoense, no último domingo (4), entrou para a história dos principais vexames do Palmeiras ao longo dos 101 anos de existência.
Além do demérito de cair para a 2º divisão em duas oportunidades, partidas recheadas de gols pra cima do Verdão, marcaram negativamente a trajetória do clube.

LEIA MAIS:
Opinião: Um lugar sagrado, chamado GOL
Opinião: Excelência do Allianz Parque traz problemas dentro de campo

Em ordem decrescente, não precisamos ir muito longe. Em 2003, o Palmeiras perdeu por 7×2 para o Vitória. Recém rebaixado no campeonato Nacional, o time que tinha no gol, nada menos que São Marcos e assinou o atestado de óbito também na Copa do Brasil.

Três anos mais tarde, foi a vez do Figueirense afundar a rede do Verdão, 6 vezes. A partida deprimente resultou inclusive na demissão do técnico Emerson Leão.
Ainda em 2006, o Palmeiras que se livrou por pouco da degola, fechou a conta com mais uma goleada, dessa vez pro Santos por 5×1. O time ficou na 16ª posição, apenas 5 pontos da Ponte, primeira do Z4.

No ano seguinte, a farra continuou. O Cruzeiro converteu 5 vezes a exemplo do alvinegro praiano. E o Palmeiras com um homem a menos, não deixou nem o de honra.

Um jogo mal aqui outro ali, mas, até 2011 não houve vexame que mereça ser destacado nesta relação.

Porém, contra o Coritiba, em 2011, o Palmeiras não só deixou escapar a vaga na semi-final da Copa do Brasil, como também, saiu de campo de cabeça baixa e muito, muito desentendimento. Marcão pra variar, não deixou barato e disparou contra a equipe toda. O placar foi 6×0 e a mancha foi grande.

2013 contra o Mirassol, foram 6×2. Se recuperando do 2º rebaixamento, a equipe alviverde entrou em campo desfalcada e saiu depenada.

No ano passado, o desastre foi contra o Goiás. Já na lanterna, Palmeiras permitiu um massacre de 6×0 e o torcedor viveu mais uma vez o gosto amargo da derrota por goleada.

No final da tarde de ontem, a Chapecoense saiu na frente logo aos 4 minutos e terminou o 1º tempo com dois gols de vantagem. Foi na volta pro campo, na segunda etapa, que a situação saiu mesmo do controle. Foram nada menos que 5×1 e uma vasta conta que o torcedor palmeirense tem que pagar e engolir.

Créditos: Twitter oficial



Curiosa por natureza e jornalista de formação. Sou autora do livro Palmeiras - O Brasil de coração italiano. Escrever sempre foi um hobby e vender por meio da mensagem tornou-se profissão. Formada desde 2012, hoje me especializo em Comunicação de Marketing em Mídias Digitais.