Opinião: O maior erro do São Paulo é deixar Osório ir embora

adiosOsorioTricolor erra demais ao deixar ir embora um treinador como Juan Carlos Osório. Time deixou suas brigas internas chegarem ao um nível absurdamente elevado a ponto de ele aceitar a proposta da Selação do México, ignorando que ele apesar de todas as confusões levou o time a uma posição extremamente competitiva, seja no Brasileirão, seja na Copa do Brasil.

A situação do São Paulo anda tão complicada em termos diretivos que, me colocando no lugar de Juan Carlos Osório daria graças a Deus de ir embora do clube. Nada contra a torcida, mas pensando assim, friamente, para o colombiano foi a melhor atitude a ser tomada em acertar com a Seleção do México do que aguentar toda a conturbação no Morumbi.

Desde que ele chegou ao clube, Osório enfrentou problemas com boa parte da diretoria, contando com o apoio apenas de Ataíde Gil Guerreiro, o ex-vice de futebol do clube. Para ajudar, num primeiro momento os jogadores não compraram suas ideias de futebol, incluindo o rodízio de jogadores.

Só que ele aos poucos virou o jogo, principalmente ao fazer Alexandre Pato voltar a jogar bola. Esse é certamente um dos legados do agora ex-treinador do São Paulo. Pato era um jogador que se machucava demais, mas sempre se mostrava desinteressado das partidas que fazia e com Osorio, voltou a ter futebol para ter seu nome cogitado para um retorno à Seleção Brasileira. Outro ponto que fará o colombiano ser bem lembrado pela torcida foi apostar em jovens jogadores e dar a primeira chance a eles, como Lyanco, Mateus Reis. Tudo bem que eles talvez não tivessem esta chance se os oito jogadores negociados pela diretoria com o campeonato em andamento ainda estivessem no clube.

Outro que certamente será grato pelo resto da vida pela chance obtida é Breno. Ele, que veio de uma passagem extremamente turbulenta na Alemanha, quando defendia o Bayern Munique e incendiou sua casa, acabou sendo recontratado pelo clube do Morumbi e levou nove meses para recuperar a sua melhor forma e com Juan Carlos, ele ganhou uma chance no clássico contra o Corinthians. Qualquer outro treinador consideraria uma temeridade colocar um jogador tanto tempo afastado logo num jogo de tamanha importância. Breno correspondeu a confiança depositada e jogou bem tanto na zaga quanto como volante.

Contudo, chego ao ponto principal deste texto. No meio deste turbilhão de problemas, Osorio conseguiu administrar o vestiário, sem deixar que a crise da direção do clube chegasse ao campo. O time poderia ter seus altos e baixos, mas ele conseguiu deixar o elenco brigando por vaga na Libertadores-2016 tanto via Brasileirão, por estar neste momento na quinta posição, quanto na Copa do Brasil, em que é um dos semifinalistas.

Por tudo o que ele fez e suportou neste período, avalio que a saída de Osorio, sem maior empenho da presidência do clube para mantê-lo, será benéfica a imagem do treinador e péssima ao Tricolor, pois ele fez de tudo, com o material humano que tinha nas mãos para levar o clube a uma boa colocação e manter sua competitividade apesar do fato de ter uma série de problemas externos.