Opinião: Sorteio da CBF transforma o simples em complexo

Algo simples e que poderia ser feito pela CBF em questão de segundos até: sortear os mandos de campo das semifinais da Copa do Brasil. Mas a entidade transformou o simples no complexo.

LEIA MAIS:
São Paulo abre mata-mata com o Santos em casa na Copa do Brasil
Palmeiras decide vaga na Copa do Brasil contra o Fluminense no Allianz Parque

O fato de ter três paulistas poderia facilitar o sorteio, pois não pode ocorrer dois jogos ao mesmo tempo na capital paulista por causa de questões de segurança.

Mas não, a CBF fez com que tudo fosse complexo. Transformou em um evento na sua sede para ser televisionado, exibindo vídeos de introdução e patrocínios. Pior que a introdução do sorteio foi o próprio sorteio.

Uma “roda” com bolinhas dentro determinaram os mandos dos confrontos. Poderiam ter apenas duas bolas, certo? Errado: eram cerca de 15 bolas no sorteio! Se caísse par, seria “mando x e y”, e se caísse ímpar “mando y e x” nos confrontos. Exagero que apenas ocupou tempo.

Legais foram os sorteios das oitavas (com o sistema complexo e confuso também) e os sorteios das quartas, pois atraíram mais atrativos. O de hoje foi desnecessário.

Em tempo:

IDA – 21/10
Fluminense x Palmeiras
São Paulo x Santos

VOLTA – 28/10
Palmeiras x Fluminense
Santos x São Paulo

Crédito da foto: Reprodução/CBF



Vocação jornalística e esportiva desde a infância. Colaborador desde 2015 com matérias/artigos, principalmente nas coberturas do automobilismo, futebol americano e esportes eletrônicos.