Pontuação em ranking nacional e premiação motivam Grêmio a brigar pela vice-liderança

Grêmio
Crédito da foto: Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação.

Com nove pontos atrás do líder Corinthians, o Grêmio sabe que o título brasileiro não será tarefa fácil. No entanto, a busca pela vice-liderança passou a ser objetivo para o clube. Segundo Romildo Bolzan Jr, presidente gremista, uma segunda colocação traria benefícios importantes como uma maior pontuação no ranking nacional de clubes e premiação.

MAIS GRÊMIO:

Grêmio se mantém no Top 5, mas vê São Paulo se aproximar no Torcedômetro

Galhardo, Geromel e Luan lideram Bola de Prata do Brasileirão

No momento, o time é terceiro colocado com 52 pontos, quatro atrás do atual vice-líder Atlético-MG. As duas equipes ainda se enfrentam no returno do Brasileirão, em jogo a ser disputado na Arena, em Porto Alegre (RS). Mesmo se permanecer em terceiro, o Grêmio estará na Libertadores de 2016. Mas, para Bolzan, não será o bastante.

“Tenho que trabalhar com todos os raciocínios possíveis. O Grêmio precisa fazer a sua parte e aguardar o tropeço dos adversários. Nós temos que ficar no mínimo em terceiro, que vai nos garantir na Libertadores do ano que vem”, disse Bolzan em entrevista à Rádio Gaúcha.

“Mas um segundo lugar faria diferença para o ranking nacional e na questão de premiação. No contexto que vive o Grêmio, tudo isso tem um acúmulo de valores que são muito importantes”, acrescentou.

De fato, a vice-liderança ao término da competição nacional concede valores mais expressivos. Sendo terceiro, o Grêmio faturará algo em torno de R$ 4,1 milhões, ao invés dos R$ 6,3 mi em caso de segunda colocação. Com relação aos pontos no ranking nacional da CBF, o vice garante 640, enquanto o terceiro fica com 600.

Crédito da foto: Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação.



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.