Dorival revela segredo do Santos: “Temos que aproveitar o DNA ofensivo”

(Foto: Reprodução/Facebook)

Santos e Fluminense se enfrentaram neste domingo, na Vila Belmiro, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.  A equipe santista venceu pelo placar de 3 a 1, com gols de Lucas Lima, Marquinhos Gabriel e Neto Berola. Com a vitória, a equipe paulista é provisoriamente a 4ª colocada com 46 pontos, enquanto a equipe carioca permanece na 12ª posição com 37 pontos. O Santos ainda desempatou o confronto entre os clubes, agora são 31 vitórias ante 30 do tricolor carioca, envolvendo jogos pelo Campeonato Brasileiro e pelo Torneio Rio-São Paulo. Ao final da partida, o técnico santista Dorival Jr. avaliou positivamente a exibição de sua equipe, mas demonstrou preocupação com a condição física de seus jogadores.

LEIA MAIS 

Santos faz ação em homenagem ao mês do idoso

O Santos fez uma excelente partida neste domingo contra o Fluminense. A equipe santista dominou as ações do jogo desde o início da partida e poderia ter obtido um placar mais elástico com maior capricho na última bola. Em entrevista coletiva ao final da partida, Dorival Jr. reconheceu a intensidade da equipe e a vocação de sempre procurar o ataque ainda que, segundo o treinador, a equipe não estivesse em condições físicas das mais adequadas, em razão do desgaste provocado pela sequência de jogos decisivos. “Eu acho que o Santos tem um DNA muito ofensivo e temos que aproveitar isso. É uma característica. Temos jogadores de velocidade pelos lados, um meio que toma bola, mas também faz o time jogar. Temos de ter consciência de que esses jogadores se completam em determinados momentos.”, declarou o treinador.

Sobre o impacto do desgaste físico, o técnico santista elogiou o trabalho dos preparadores físicos do clube e da capacidade de recuperação dos jogadores. Mas aproveitou para fazer um alerta sobre o impacto negativo da questão física no treinamento da equipe. “Eu tenho de tirar o chapéu para o departamento físico do Santos, pelo trabalho que foi desenvolvido. O ritmo que nós estamos impondo em cada partida, a intensidade, o desgaste é muito grande. Chegamos na quinta-feira de madrugada, quase quatro da manhã aqui em Santos. Estamos muito mais recuperando o elenco do que propriamente treinando esse elenco. Esses dez dias não sei como aproveitá-los, a não ser no sentido de recuperação, porque não teremos quatro jogadores (servindo à seleção, caso Zeca se recupere), além de Victor em recuperação e, agora, Gustavo e Marquinhos em recuperação. Não sabemos o que fazer e como prepará-los para uma sequência tão difícil e complicada e, principalmente, chegando próximo aos jogos da Copa do Brasil.”, alertou.

O próximo compromisso do Santos é diante do Grêmio, em Porto Alegre, no dia 15/10/2015, uma quinta-feira, pelo Campeonato Brasileiro.

Crédito da foto: Reprodução/Facebook.