10 Gre-Nais que justificaram a fama do clássico

Grêmio x Internacional
Getty Images

Quem joga, não esquece. Quem brilha, fica na história. Não foram poucos os jogadores que disseram que se trata do maior clássico do mundo. E também não foram poucas as vezes em que o Gre-Nal justificou esse rótulo. Goleadas, brigas, quebra de jejum, técnico descontrolado, erro da arbitragem, zebra… já teve de tudo.

MAIS GRE-NAL:

Gre-Nal falado: relembre provocações que ajudaram a apimentar o clássico

Danrlei fala sobre o clássico e provoca: “Adorava ver o amor dos colorados por mim”

Veja o que mudou na dupla Gre-Nal 100 dias depois do clássico dos 5×0

Para que os torcedores colorados e gremistas possam se preparam da melhora forma para o que pode acontecer no Gre-Nal 408, marcado para este domingo às 17h no Beira-Rio, o Torcedores.com lista abaixo 10 históricos clássicos que justificaram a grandeza da partida.

1° – O batismo do Beira-Rio – Gre-Nal 189 – 20/04/1969 – Beira-Rio – Inter 0x0 Grêmio

O que era para ser mais uma das atrações do festival de inauguração do Beira-Rio transformou-se em uma verdadeira guerra entre Grêmio e Internacional, que sequer terminaram a partida. O clássico ficou marcado por ter registrado uma enorme pancadaria, e apenas Dorinho, do Inter, e Alberto, do Grêmio, não foram expulsos pelo árbitro Orion Mello.

 

2° – O tombo de Catimba – Gre-Nal 235 – 25/9/1977 – Olímpico – Grêmio 1×0 Inter

O grande time colorado da década de 70 enfim era parado pelo Grêmio. Além de ter conquistado o título gaúcho naquela partida, o Grêmio via se formar ali a grande espinha dorsal do time que o levaria à conquista do Brasil em 81 e da América e do Mundo em 83. Bom, o tombo de André Catimba na comemoração do gol é apenas uma das coisas que um Gre-Nal pode proporcionar.

 

3° – Gre-Nal do Século – Gre-Nal 297 – 12/02/1989 – Beira-Rio – Inter 2×1 Grêmio

O calor infernal da tarde de Porto Alegre naquele 12 de fevereiro serviu para esquentar os ânimos em campo. Em um Gre-Nal nervoso, disputado e histórico, o Inter de Abel Braga conseguiu virar a partida mesmo com um homem a menos e 1×0 em desvantagem. Com a vitória, o time colorado se garantiu na final do Campeonato Brasileiro de 1989 e ficou para sempre como o vitorioso do Gre-Nal do Século.

 

4° – O Gre-Nal dos 5×2 – Gre-Nal 335 – 24/08/1997  – Olímpico – Grêmio 2×5 Inter

Gre-Nal com todos os elementos possíveis para se reforçar a magia de um Gre-Nal. Na semana que antecedia a partida, o dirigente gremista Denis Abrahão disse que o Grêmio “patrolaria” o Inter. Antes do jogo, um coelho (sim, um coelho) foi solto no gramado em alusão à campanha colorada no Brasileirão. Dentro de campo, Fabiano só não fez chover naquela que foi a sua melhor exibição com a camisa colorada. Em um dos gols, tentou imitar um coelho na comemoração. Bem, tentou…

 

5° – A “Franga Velha” – Gre-Nal 347 – 07/10/2000 – Beira-Rio – Inter 1×2 Grêmio

Irritar o rival até que ele fosse expulso de campo era uma das grandes virtudes do eterno goleiro Danrlei, personagem vitorioso e folclórico da história do Grêmio e dos Gre-Nais. Na vitória gremista por 2×1 sobre o Inter, no Beira-Rio, pela Copa João Havelange de 2000, o arqueiro usou desse expediente para tirar Fabiano de campo. Na saída, o atacante colorado respondeu: “O Danrlei veio correndo para cima de mim. Parecia uma franga velha…”

 

6° – Danrlei 0x0 Inter – Gre-Nal 355 – 15/6/2003 – Olímpico – Grêmio 0x0 Inter

Quando a gangorra gaúcha começava a pender para o lado vermelho, o tombo gremista só não foi mais doloroso porque Danrlei estava ali para salvar. No primeiro turno do Brasileirão de 2003, só deu Inter no Olímpico. Mas o arqueiro gremista impediu a derrota tricolor. No dia seguinte, o jornal Zero Hora estampou da seguinte forma a sua capa: “Danrlei 0x0 Inter”.

 

7° – O recuo que Simon não viu – Gre-Nal 364 – Olímpico – 1º/04/2006 – Grêmio 0x0 Inter

Gre-Nal sem polêmica com a arbitragem não é Gre-Nal. Na primeira partida da decisão gaúcha de 2006, um jogo nervoso, bastante disputado e sem inspiração de ambos os lados impediu um placar movimentado. No fim, o 0x0 foi justo, mas… Carlos Eugênio Simon, na época o melhor árbitro do Brasil, desconsiderou um recuo claro de Bolívar ao goleiro Clemer, que pegou a bola com as mãos dentro da grande área. De qualquer forma, o Grêmio sagrou-se campeão gaúcho uma semana depois, protagonizando uma grande zebra dentro do Beira-Rio.

 

8° – Embaixadinhas de Clemer – Gre-Nal 373 – 28/09/2008 – Beira-Rio – Inter 4×1 Grêmio

Mais uma vez, a famosa “patrola” prejudicou o Grêmio. Dessa vez, foi o presidente Paulo Odone que usou a metáfora para dizer como o tricolor venceria o Inter dentro do Beira-Rio. Em campo, o que se viu foi outra coisa. Quem passou a máquina foi o Inter, que aplicou 4×1 com direito a embaixadinhas do goleiro Clemer.

 

9° – O clássico das provocações – Gre-Nal 398 – 20/10/2013 – Centenário (Caxias) – Inter 2×2 Grêmio

O jogo ficou em segundo plano depois de tantas declarações provocativas e polêmicas. Primeiro, Vargas fez o gol do Grêmio e imitou o saci – mascote colorado. Depois, D’Alessandro empatou e simulou um binóculo. Nas entrevistas, Kleber Gladiador, Renato Gaúcho e o próprio D’Ale esquentaram o clima do clássico. D’Ale: “Normal, é que alguns times só podem relembrar os seus grandes títulos em fitas VHS”, sobre a comemoração fazendo um binóculo. Kléber Gladiador: “Natural para um time que nasceu em 2006”, rebateu o então atacante gremista. Renato Gaúcho: “O D’Alessandro é um grande jogador, admiro muito como pessoa, e está certo em usar binóculo, pois só assim ele conseguirá enxergar o Grêmio na tabela. Talvez ele tenha de idade o que eu tenho de títulos”, disse o comandante gremista, que, naquela altura, colocava o seu time a 11 pontos na frente do rival.

 

10° – O Gre-Nal dos 5×0 – Gre-Nal 407 – 09/08/2015 – Arena – Grêmio 5×0 Inter

O Grêmio até perdeu um pênalti, mas não deixou de golear o Inter e pagar com juros a goleada por 5×2 sofrida em casa em 1997. Em um verdadeiro massacre, o tricolor passou por cima do rival e goleou sem a menor piedade.

Foto: Getty Images



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.