7 corintianos que você pode não se lembrar, mas que estiveram no 7 a 1 sobre o Santos

Nesta sexta-feira, uma das maiores goleadas do Corinthians sobre o Santos completa 10 anos e a Fiel está em festa nas redes sociais. Naquela partida em que corintianos do time como Nilmar, Tevez, Marcelo Mattos e Jô anotaram os gols, o Alvinegro teve em campo coadjuvantes que ajudaram a equipe a aplicar o resultado que ficaria famoso mundialmente nove anos depois, quando a Alemanha aplicaria o mesmo placar sobre o Brasil em uma Copa do Mundo.

LEIA MAIS
Por onde anda os corintianos autores dos gols 7 gols contra o Santos?

Em 2005, o time comandado pelo técnico Antônio Lopes entrou em campo com seus principais titulares, que alguns corintianos, podem não se lembrar. Fazendo menção ao resultado histórico, o Torcedores.com irá relembrar sete jogadores que estiveram em campo e que você pode não se recordar.

Eduardo Ratinho: Revelado pelo Corinthians no ano do tetracampeonato, Eduardo Ratinho foi titular na partida. Ele e Coelho revesavam a lateral-direita do Alvinegro, na época.

Wendel: Também revelado pelo Corinthians, o lateral é pouco reconhecido pela torcida. Mas fez parte da campanha do título e foi mais um dos jogadores vindos do “Terrão”.

Hugo: Antes carrasco do Timão, o meia veio ao Corinthians por meio da parceria com a MSI, de Kia Joorabchian, e colaborou com a elástica vitória do Alvinegro sobre o Santos.

Bruno Octávio: Mais um dos jogadores vindos do Terrão, Bruno Octávio era um dos titulares que Antônio Lopes colocou em campo há 10 anos. Após o ano do título, rodou por alguns clubes e, na reserva, voltou a ser campeão em 2011.

Carlos Alberto: Reforço da MSI, Carlos Alberto era titular absoluto do time que se consagrou tetracampeão em 2005.

Dinélson: Na partida do 7 a 1, Dinélson, cria do Timão, saiu do banco para participar e ficar marcado como um dos jogadores que estiveram em campo na história do Clássico Alvinegro.

Wescley: Assim como Jô e Dinélson, o zagueiro foi o selecionado do banco de reservas para entrar em campo na data que está na história como o dia do “Eterno 7 a 1”.

Foto: Reprodução/Youtube



Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.