Com final da Copa do Brasil, Palmeiras e Santos “apagam” Corinthians e São Paulo em 2015

Foto: Ricardo Saibun/Santos FC

O ano de 2015 começou de maneira bem singular para cada um dos quatro grandes times do estado de São Paulo. Enquanto Corinthians e São Paulo pensavam no título da Libertadores após um ótimo returno no Campeonato Brasileiro 2014, Santos e Palmeiras tinham pouca perspectiva para uma temporada que se desenhava como de reconstrução para ambos os clubes.

Leia Mais:
Arrepiado, Gabriel diz: “Vamos para dentro dos caras que vamos ser campeões”. Veja!
Arouca pede dedicação total do Palmeiras e diz: “Este grupo merece ser campeão”
Em ano conturbado, São Paulo passa vexame diante de rivais
Conmebol renova com a Fox por três anos e prêmios devem subir 30%

Bastou o sorteio da Libertadores definir que Corinthians e São Paulo estariam no mesmo grupo na competição continental, que as projeções surgiram: quantos Majestosos teremos no ano? A expectativa era que os rivais da capital fizessem a semifinal da Libertadores. Mas não aconteceu. O São Paulo começou a degringolar e foi eliminado pelo Cruzeiro nos pênaltis, no Mineirão, nas oitavas de final.

Na mesma fase da competição, o Corinthians, até então o time sensação do Brasil, foi surpreendido pelo Guarani-PAR, e caiu fora do torneio.

Por outro lado, Santos e Palmeiras faziam uma reestruturação. O Santos viu uma debandada de jogadores após Aranha, Arouca e Edu Dracena, entre outros, deixaram o clube, alguns até apelando para a justiça.

Já o Palmeiras contou com a chegada de um novo patrocinador e com as novas receitas oriundas do seu programa de sócio-torcedor e do seu novo estádio, e turbinou seu elenco. Ao longo do ano, nada menos que 26 jogadores foram contratados.

Enquanto a queda na Libertadores e as crises financeiras minaram as expectativas de Corinthians e São Paulo, Santos e Palmeiras chegaram à final do Campeonato Paulista, com triunfo santista nos pênaltis na Vila Belmiro.

O Corinthians conseguiu se reerguer na temporada após as saídas de Paolo Guerrero e Emerson Sheik e a resolução de grande parte das pendências financeiras. Assim, conquistou o Campeonato Brasileiro de maneira incontestável, com direito a bale em cima do São Paulo na festa pelo hexa da competição.

O São Paulo enfrentou a maior crise institucional de sua história, que contou com a renúncia do então presidente Carlos Miguel Aidar, trocou três vezes de técnico e enfrenta graves problemas financeiros. Mas se apega à luta pela vaga na Libertadores, acreditando que ela possa solucionar grande parte de suas dificuldades.

Já Santos e Palmeiras trocaram de técnicos e subiram de produção. Agora, fazem a final da Copa do Brasil, na revanche da decisão do Paulista. O primeiro jogo será nesta quarta-feira (25), na Vila. E a partida de volta será na próxima quarta (2 de dezembro), no Allianz Parque.



Jornalista que gosta de boas histórias e grandes personagens, não importa se dentro ou fora de campo