Fórmula E: Di Grassi vê carros de rivais sofrerem falhas e vence em Putrajaya

Lucas di Grassi venceu na madrugada deste sábado (7) o ePrix de Putrajaya, segunda etapa da temporada 2015/2016 da Fórmula E, disputada no circuito montado nas ruas da capital administrativa da Malásia. O brasileiro da equipe ABT Audi Sports se aproveitou de uma melhor parada nos boxes e de problemas com vários concorrentes para triunfar pela primeira vez no atual campeonato.

LEIA MAIS:
Buemi garante pole position em Putrajaya

Sam Bird terminou na segunda posição, 14 segundos atrás de Di Grassi, enquanto o holandês Robin Frinjs completou o pódio mesmo após enfrentar problemas com seu carro. Stéphane Sarrazin, que precisou largar dos boxes, terminou em quarto, seguido por Bruno Senna.

Antônio Félix da Costa ficou com a sexta colocação, seguido por Daniel Abt, companheiro de equipe de Di Grassi. O atual campeão Nelsinho Piquet completou a corrida no oitavo lugar com o errático carro da China Racing. Nick Heidfeld acabou na nona posição, enquanto Nicolas Prost fechou a lista dos dez melhores.

A corrida foi marcada por diversos problemas nas baterias dos carros, que apagavam e eram religadas pelos pilotos ao longo do páreo. Essa falha aconteceu pelo menos duas vezes com Sébastien Buemi, favorito à vitória e que terminou na 12ª posição.

Após a disputa do ePrix de Putrajaya, Lucas di Grassi assume a liderança da Fórmula E, com 43 pontos. Sébastien Buemi aparece na segunda colocação, com 35, enquanto Sam Bird agora assume o terceiro posto na tabela de pontos, com 24.

A próxima etapa da Fórmula E abre agora sua gira pelo continente americano. No próximo dia 19 de dezembro, a categoria de carros movidos à eletricidade desembarcam na cidade uruguaia de Punta del Este para a realização de sua terceira etapa.

A corrida

Antes da largada Stéphane Sarrazin acusou um problema em seu carro, o que fez com que a direção de prova abortasse o início da prova. Na segunda tentativa a prova teve início. Buemi manteve a liderança, seguido por Duval e Da Costa. Mais atrás, Heidfeld rodou e perdeu muitas posições. Di Grassi pulou para a quinta posição, três à frente de Senna, enquanto Piquet assumiu a 13ª posição.

Jean-Eric Vergne deixou a corrida ainda na primeira volta da corrida, em decorrência do acidente com Heidfeld. Mais lento em relação a quem vinha de trás, Antônio Félix da Costa passou a ser pressionado por Nicolas Prost e Lucas di Grassi. Na quinta volta, Oliver Turvey encontrou a barreira de pneus e provocou a entrada do Safety Car na pista.

A relargada foi autorizada na oitava volta e Bruno Senna perdeu várias posições por conta de algum problema no carro da Mahindra. No giro seguinte foi a vez de Prost conseguir superar Da Costa para assumir a terceira posição. O francês rapidamente se aproximou de Duval para disputar a segunda colocação, mas encontrou dificuldades para superar o rival da Dragon.

A corrida mudou de figura na 15ª volta, quando Buemi viu o carro da e.Dams apresentar um problema e ficar lento na pista. O time ainda viu Nicolas Prost entrar nos boxes para a troca de carros no giro seguinte mesmo tendo 18% de bateria em seu primeiro carro. Isso tudo beneficiou Duval, que assumiu a liderança da corrida, seguido por Da Costa e Di Grassi.

Daniel Abt e Nathanael Berthon visitaram os boxes na 17ª passagem, mas o alemão teve problemas para fazer o segundo carro funcionar. Uma volta depois os líderes da prova fizeram a troca de seus equipamentos. Melhor para Da Costa e Di Grassi, que ganharam a posição de Duval, que fez uma parada mais lenta.

O brasileiro da equipe ABT Audi Sport superou o português da Aguri na 20ª passagem, assumindo a terceira posição, atrás apenas de Piquet, que optou por uma tática de economia de bateria, e Prost, que parou precocemente. O atual campeão fez a troca no 21º giro, perdendo muitas posições.

Precisando economizar bateria para chegar ao final da corrida, Prost seguiu na liderança, mas viu Di Grassi se aproximar volta após volta, passando a tentar um ataque na 23ª volta, trazendo todo o pelotão. A ultrapassagem do brasileiro veio no giro seguinte, aproveitando a frenagem na primeira curva do circuito malaio.

Da Costa conseguiu superar Prost na 25ª volta, assumindo a segunda posição, mas um problema em seu carro, ficando lento e deixando a disputa pela vitória. O piloto da e.Dams, porém, não pode aproveitar a retomada de posição por muito tempo, uma vez que foi superado por Duval na sequência. O filho de Alain Prost seguiu perdendo posições até o final da corrida.

Na 30ª passagem Duval passou a ter problemas com seu carro e D’Ambrosio assumiu a segunda posição. Robin Frinjs tentou a ultrapassagem, mas acabou batendo e ficou com o carro torto. Sam Bird assumiu a terceira posição após toda a confusão. Em corrida de recuperação, Buemi assumiu o quinto posto até o seu carro apagar mais uma vez.

Mesmo com Duval parado na pista, a direção de prova manteve a bandeira verde. Di Grassi pôde manter a vantagem que tinha para vencer a prova. D’Ambrosio, que vinha em segundo, bateu na última volta e abandonou, cedendo o segundo lugar para Bird. Robin Frinjs completou o pódio.

Foto: reprodução/Twitter



Jornalista com passagens pelas revistas Racing e House Mag.